sáb. jan 28th, 2023

O aumento da inflação nos últimos anos reduziu o poder de compra. Veja algumas dicas de como se proteger desse aumento e manter a saúde financeira

Nos últimos anos, a inflação cresceu em diferentes regiões do mundo. No Brasil não foi diferente. De acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o país encerrou 2022 com uma inflação acumulada de 5,79% no ano.

Os itens que mais subiram a inflação no ano passado foram alimentos e bebidas, gastos com cuidados pessoais e saúde, além de vestuário. Por isso, cresce a busca de brasileiros por investimentos que os façam recuperar o poder de compra que foi corroído pela inflação. Veja algumas dicas de como se proteger do aumento da inflação, tais como comparar produtos financeiros.

Revise despesas mensais

O primeiro passo para manejar bem as finanças é levantar quais são os seus gastos mensais. Veja quais delas são fixas (eletricidade, água, internet, etc.) e quais são pontuais (conserto de um carro ou equipamento, imposto, entre outros exemplos).

Para fazer esse levantamento, você deve recorrer a planilhas e aplicativos. Após levantar todos os seus gastos, é preciso compará-los com a sua renda e definir limites para cada área – lazer, saúde, supermercado). Também é importante retirar serviços que estão sendo pagos, mas não usados – como plataformas de streamings, academias, cursos, entre outros exemplos.

Planeje refeições semanais

A alimentação foi um dos itens que mais fizeram a inflação crescer em 2022. Logo, é importante planejar as suas refeições semanais, já que comer fora demanda mais dinheiro do que antes.

Preparar a alimentação em casa pode ser importante para se proteger contra a alta dos preços. Que tal separar um dia para definir qual será a alimentação, ir ao mercado e feira e preparar alguns itens? Isso reduz os gastos com refeições prontas e serviços de entrega a que se costuma recorrer quando não há esse planejamento.

Economia circular

A chamada economia circular associa desenvolvimento econômico e melhor uso de recursos naturais, a partir da otimização dos processos de fabricação e priorização de insumos recicláveis, renováveis e mais duráveis. E de novos modelos de negócios.

Investir em economia circular é uma tendência cada vez mais popular. Por isso, busque roupas, livros e produtos tecnológicos seminovos, que apresentam um curso menor. Lembre-se de conferir as condições desses produtos e, no caso de equipamentos, qual é o prazo de garantia e se ele já passou por reparos anteriormente.

Pesquise e compare preços

Uma cautela básica para se proteger do aumento dos preços é pesquisar e comparar preços. Isso vale para absolutamente tudo: compras itens básicos no supermercado, contratar um serviço, comprar um novo aparelho, entre outros exemplos.

Com a internet, essa pesquisa fica ainda mais fácil e traz mais possibilidades. Já que bastam alguns cliques para comparar os preços de diferentes lojas, bem como a taxa de frete de cada uma delas. Lembre-se de incluí-la antes de optar por um produto porque, dependendo do custo do frete, o valor final da compra pode não valer a pena.

Outra dica é buscar cupons de descontos em plataformas voltadas para isso. Essa estratégia é bem popular em países como os Estados Unidos e tem ganhado novos adeptos no Brasil nos últimos anos.

Substitua itens de consumo

Outra dica para ajudar nas finanças é substituir itens de consumo com preços mais altos. Veja aqueles com custo mais elevado e busque opções similares de outras marcas, com preço menor.

É preciso conferir quais produtos e serviços são prioritários e usados cotidianamente e aqueles que podem ser substituídos e você não considera tão essencial assim.