qua. nov 30th, 2022

Estudos comprovam que uma boa noite de sono é indispensável à saúde humana. No entanto, mais de 73 milhões de brasileiros sofrem de insônia, um distúrbio que já pode ser considerado o mal do século.

Com tantos casos chegando aos consultórios, os médicos precisam se atualizar e oferecer aos seus pacientes as melhores opções de tratamento. É nesse cenário que há procura por cursos de cannabis medicinal.

Essa é a principal tendência para enfrentamento da doença e deve avançar ainda mais nos próximos anos, com a regulamentação do cultivo e uso da Cannabis. Continue a leitura e se informe mais sobre o assunto!

O que é insônia

A insônia pode ser definida como a dificuldade de um indivíduo de adormecer ou manter-se dormindo. Ela é classificada como um distúrbio do sono e pode ser esporádica ou fazer parte de um quadro crônico.

Em geral, não conseguir dormir é uma queixa comum nos consultórios médicos. O problema pode ser um sintoma de outra patologia ou condição física/emocional pela qual o paciente está passando ou ser a própria doença.

Em razão de suas sérias consequências no organismo, é fundamental procurar ajuda para identificar as causas e iniciar o tratamento o quanto antes. Do mesmo modo, o profissional da saúde deve estar pronto para fazer um correto diagnóstico e iniciar o protocolo mais adequado à situação. 

As principais causas da insônia

A insônia é uma doença com inúmeras causas que, na maioria das vezes, se confundem com seus próprios sintomas. Por isso, já na primeira consulta, é preciso rastrear hábitos e entender o estilo de vida do paciente.

Porém, existem alguns hábitos e situações que são mais frequentes e que devem ser investigados com mais atenção. São eles:

  • estresse;
  • ansiedade e depressão;
  • falta de hábitos de vida saudáveis;
  • dores crônicas, como artrite e artrose;
  • variações e distúrbios hormonais;
  • doenças pulmonares;
  • refluxo;
  • predisposição genética.

Conforme mencionado, todos podem experimentar episódios de insônia ao longo da vida. Porém, quando o problema se repete por mais de três vezes por semana e por um longo período, é possível que estejamos diante de um quadro crônico.

As consequências da insônia para o organismo humano

Dormir é muito mais do que o ato de fechar os olhos e sonhar. A medicina é unânime ao afirmar o quanto uma noite de sono completa e sem interrupções é fundamental para a saúde humana.

Nesse período, o corpo descansa, os músculos relaxam e a memória se consolida. Mas esses são apenas alguns exemplos que comprovam sua necessidade fisiológica.

A insônia é, portanto, um obstáculo à saúde do corpo e da mente humana. Pacientes com esse distúrbio do sono enfrentam uma série de problemas e consequências negativas. Acompanhe!

Aumento de doenças cardiovasculares

A insônia está associada ao aumento das chances de o paciente desenvolver doenças cardiovasculares. Já existem estudos nesse sentido, que comprovam que a falta de um sono de qualidade pode causar ataques cardíacos e Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Falta de motivação e disposição para executar tarefas cotidianas

Não há dúvidas de que a dificuldade para dormir pode afetar a motivação e disposição para executar tarefas cotidianas. Esse é um reflexo comum do problema, que gera fadiga e sobrecarga mental, já que o descanso não é satisfatório.

Redução da imunidade

Dormir pouco pode desencadear uma queda na imunidade do paciente. Em geral, um sono de má qualidade é um fator de estresse para o organismo, deixando o sistema imunológico em alerta. Em casos crônicos, o desgaste é tão grande que os quadros de adoecimento aumentam.

Aumento do estresse e ansiedade

Como destacamos, alguns sintomas da insônia se confundem com suas causas. Esse é o caso do estresse e da ansiedade, que estão presentes em quase todo diagnóstico clínico da doença. Trata-se de um ciclo que deve ser tratado com urgência, pois pode evoluir para a depressão.

Aumento do risco de desenvolver Doença de Alzheimer

Estudos recentes apontam a relação entre a dificuldade para dormir e o aumento do risco de desenvolver a Doença de Alzheimer. Observou-se que a insônia gera danos em algumas áreas do cérebro que são afetadas nos primeiros estágios da doença.

O interessante é que muitos idosos relatam que não dormem bem. E, como já se sabe, o Alzheimer é uma doença silenciosa no início, visto que os danos cerebrais são bem anteriores aos primeiros sintomas.

Automedicação e abuso de substâncias controladas

Por fim, a automedicação e o abuso de substâncias controladas é mais uma séria consequência dessa doença. No desespero para conseguir dormir, não é raro encontrarmos pessoas adquirindo remédios sem prescrição médica, inclusive ansiolíticos.

O hábito é um risco à saúde e pode gerar dependência. Além disso, o tratamento se torna ainda mais complexo, demorado e estressante para todos os envolvidos.

O uso da Cannabis medicinal do tratamento da insônia

Ficou claro que o tratamento adequado para a insônia pode devolver muito mais do que a saúde aos pacientes. Ele promove mais qualidade de vida e tem impactos em seus relacionamentos pessoais e profissionais.

Além da mudança de hábitos, com uma melhor alimentação e atividade física, a medicina usualmente trata a insônia com medicamentos ansiolíticos e anticonvulsivantes, que promovem relaxamento e, por vezes, sedação.

Essa não é uma prática inadequada, mas esse tipo de medicamento tem efeitos colaterais consideráveis. Com isso, a adoção de tratamentos alternativos, como o uso da Cannabis medicinal, se apresenta como uma alternativa mais inteligente. 

Estudos comprovam que o efeito ansiolítico desencadeado pela Cannabis reduz a insônia. Além disso, a cannabis tem o potencial de regular o ciclo do sono-vigia, melhorando o ciclo do sono. O tempo total de sono, assim como sua qualidade e a sensação de repouso foram alguns dos fatores que apresentaram melhoria.

Como já se sabe, a substância atua em receptores do sistema endocanabinoide. O resultado é a elevação da anandamida no organismo, um neurotransmissor que traz a sensação de bem-estar e felicidade.

Conclusão

A insônia é uma das principais doenças do século e há muito o que se aprender sobre ela. Os avanços nos estudos e testes com Cannabis é um alívio para os pacientes que sofrem com seus sintomas e têm sua qualidade de vida afetada.

Assim, em razão dos reduzidos efeitos colaterais e da autorização para prescrição de remédios à base de Canabidiol, cada vez mais médicos devem investir nesse tratamento alternativo e comprovadamente eficaz.