seg. nov 28th, 2022

O uso de medicamentos sem prescrição médica é usado por aproximadamente 77% da população brasileira, uma porcentagem alta por se tratar de antibióticos que podem trazer consequências graves ao corpo. O uso das substâncias é usado como forma de aliviar uma dor, contudo, há efeitos maiores logo após o uso.

Se consumido com frequência pode aumentar a resistência de microrganismos, o que pode ser um problema ao longo dos anos. A medicação é considerado uma droga lícita, e se consumido por uma criança ou um adulto, deve ter uma supervisão médica.

Medicação sem prescrição médica é uma substância química que pode causar dependência se consumida exageradamente. E como tratar a dependência? Assuntos como esses e muito mais serão discutido logo abaixo.

Tenha conhecimento e consciência das substâncias que são ingeridas em seu corpo, mesmo que seja para aliviar uma dor ela pode levar a morte se não for consumida de forma correta. Primeiramente, entenda a diferença das drogas lícitas e ilícitas:

  • Drogas lícitas: São drogas de fácil comercialização, sua venda pode ser encontrada rapidamente, como álcool, cigarro e medicamento. Drogas são todas as substâncias que tem o poder de modificar ou alterar ações do corpo. Existem medicações que não precisam de uma supervisões médica, contudo, há outros medicamentos que são extremamente fortes. As medicações mais extremas são autorizadas apenas com a supervisão médica, e o uso deve ser regulado.
  • Drogas ilícitas: As drogas ilícitas são as substâncias proibidas, o que pode levar até a prisão do indivíduo. Drogas como maconha, cocaína, craque, shanke, LSD e diversas substâncias são altamente perigosas, causando a destruição do indivíduo e levando à uma dependência e até a

Consequências da automedicação

Ao recorrer de substâncias químicas como o remédio, o cidadão deseja pôr um fim na situação em que está passando, parando de sentir dor. Por muitas vezes a pessoa pode sentir frequentemente o problema, e a situação pode ser mais grave do que ele mesmo pensa. Ir ao médico é melhor opção, pois sabendo do problemas em específico o tratamento será eficaz e pode haver uma possível cura. Com o uso exagerado de medicamentos, as consequências podem ser:

  • Desintoxicação: Usar um tipo de medicação diversas vezes pode ser muito grave, além de levar à uma possível morte.
  • Alteração no corpo: Pode anular um sintoma, contudo, pode agravar outros problemas.
  • Reação: Inúmeras pessoas tem alergia a medicamentos, o que pode ser desconhecido pela própria pessoa.
  • Corpo resistente: O uso continuo pode fazer com a medicação não faça mais efeito, o que pode se complicar no momento de dor.
  • Dependência: O que antes era usado para tratar uma dor, pode causa dependência e apenas em uma clínica de recuperação poderá ser tratada o problema.
  • Falecimento: O excesso pode levar a morte.

A automedicação é um problema sério

De acordo com especialistas 50% das medicações são vendidas de forma irregular, e 1/3 da população não tem acesso a medicamentos simples, levando a fazer o uso de forma irregular. Anualmente 27 mil brasileiros recorrem aos hospitais por fazer o uso incorreto da medicação e acaba passando mal, levando a aproximadamente 73 pessoas a morte. O assunto é sério e não há conscientização ou supervisão das medicações, adultos e idosos são os grupos que mais consomem medicamentos por conta própria, o que pode ser prejudicial.

Medicamentos nomeados como tarja preta, calmantes e dentre outros, se for consumido por 6 meses continuamente pode causar a dependência. A medicação que afeta gravemente o sistema nervoso central causa dependência, o que pode ser difícil no momento da recuperação.

Como procurar por ajuda?

O Grupo Aliança pela Vida orienta com frequência  pessoas a evitarem de fazer qualquer consumo químico, pois a dependência pode destruir vidas e leva a morte. A substância química afeta a vida profissional, social, emocional e familiar, não trazendo prejuízos apenas para si, mas para todas as pessoas que estão em sua volta. Sem o uso das substâncias no corpo, a pessoa pode se tornar agressiva, nervosa e estressada. Além de entrar em processo de abstinência, o indivíduo com tal sintoma pode se torna uma pessoa impulsiva, cometendo atos irreversíveis.

A forma mais adequada e ideal para tratar a dependência química é realizando uma internação em uma clínica de recuperação, onde os profissionais iram ajudar a conter as vontades do dependente. O Grupo Aliança pela Vida pode te ajudar a encontrar uma clínica com base nas necessidades do adicto e do familiar, procure por ajuda!