qui. dez 1st, 2022

Esse modelo de gestão tem se tornado cada vez mais comum entre empresas de diferentes portes

As empresas são formadas por pessoas e para pessoas. O ser humano é centro tanto das atividades do dia a dia de qualquer organização, assim como é o destino final de determinado produto ou serviço. Portanto, valorizar o aspecto humano tem se tornado essencial para o universo empresarial atual.

Cuidar da satisfação e do bem-estar dos funcionários e consumidores é tudo para empresas que buscam crescer de uma maneira mais humana. Para esse objetivo, a filosofia de “people first” cai como uma luva para essas organizações. Não sabe do que se trata? Entenda melhor no texto abaixo.

O que é people first?

Esse é um modelo de gestão que ganhou força nos últimos anos e tem sido adotado em diversas empresas. Também conhecido como movimento human to human (ou H2H), o people first (“pessoas primeiro”, em tradução livre) é uma alternativa que coloca as pessoas como prioridade máxima em uma companhia.

Assim, busca-se valorizar todos os que atuam dentro de uma organização e destacar que as relações empresariais são feitas entre humanos — e que estes precisam de respeito. Com isso, a ideia não é apenas tratar bem o cliente, mas também os colaboradores, as comunidades no entorno, os stakeholders e parceiros estratégicos de uma empresa.

O resultado disso é que ela passa a adotar uma série de estratégias e ações que contribuam para que os indivíduos sempre sejam a prioridade máxima dentro do planejamento. Essa mentalidade vai em uma direção contrária à ideia de lucro a qualquer custo que permeia boa parte das grandes organizações até os últimos anos.

Quando bem aplicado, o people first é capaz de transformar a cultura organizacional e torna-se uma política de trabalho. Consequentemente, as pessoas deixam de ser vistas como mero meio para atingir um fim ou o lucro, sendo colocadas acima de outros aspectos do empreendimento.

Qual a sua importância?

A adoção desse modelo de gestão é capaz de proporcionar diversos benefícios para uma organização, com melhorias perceptíveis tanto na entrega do produto final quanto no próprio ambiente de trabalho. Afinal, essa é uma mentalidade que atinge todas as partes da empresa.

No caso dos colaboradores, eles passam a se sentir mais valorizados dentro da organização, sobretudo quando ela oferece benefícios capazes de melhorar o bem-estar deles e de suas famílias. Entre esses benefícios, pode-se citar plano de saúde, vale-cultura, cesta básica, opção para horário flexível de trabalho ou home office e área de confraternização e descanso.

Também podem ser atitudes que levam em consideração a realidade dos funcionários. Por exemplo, no caso de quem tem filho pequeno, parceria com creches e escolas para que a criança possa aprender e ter um local seguro para ficar enquanto o funcionário trabalha. Outra estratégia é oferecer treinamentos e cursos para os funcionários, para que eles continuem se capacitando.

Para as empresas, também são notáveis algumas mudanças positivas. Como um todo, o ambiente de trabalho torna-se melhor, mais agradável e mais engajado, com o desempenho geral dos colaboradores melhorando. A satisfação geral da equipe é maior e ela se torna mais unida para atingir os objetivos da organização.

Outra consequência é a maior retenção de talentos dentro da empresa, uma vez que eles estarão menos inclinados a mudarem de emprego e abrir mão de um ambiente que o valoriza. Dessa forma, a imagem da empresa frente ao mercado melhora e ela se torna mais atraente, tanto para futuros candidatos quanto potenciais investidores.

Por fim, os consumidores se beneficiam desse modelo de gestão. Ao receberem esse tratamento, eles se sentem mais especiais e entendem que sua jornada de compra leva em consideração o que ele sente e precisa, sendo personalizada. O resultado é ter mais satisfação ao usufruir do produto ou serviço da companhia.

Como aplicar a gestão people first?

Não existe um passo a passo do que fazer para aplicar esse tipo de gestão, mas existem várias práticas que podem ser adotadas e que irão colaborar para implementar essa filosofia. Como explicado acima, adotar estratégias que visem a melhoria da experiência dos funcionários no dia a dia e também dos clientes são dois pontos indispensáveis para o people first.

Além disso, regularmente mensurar o nível de satisfação tanto da equipe de colaboradores quanto do público, para averiguar se as medidas estão tendo efeitos positivos, também é parte importante desse processo. Envolver os funcionários na elaboração do planejamento estratégico e criar políticas de gestão consciente e inclusiva também são estratégias recomendadas.

Em caso de dúvida, os gestores devem ter em mente que as ações devem ser centradas nas pessoas. Todas as estratégias adotadas devem visar a construção de hábitos e de um conjunto de valores que tenham o bem-estar e o capital humano em primeiro lugar.