dom. abr 21st, 2024
Supermercados descartaram 210 kg de alimentos avariadosSupermercados descartaram 210 kg de alimentos avariados

O economista e especialista Leandro Rosadas ensina estratégias para minimizar prejuizo com produtos próximo ao vencimento

Controlar a logistica e a quantidade de produtos representa um desafio para o setor varejista. Não à toa, no mês passado, o Procon RJ descartou aproximadamente 210 quilos de alimentos impróprios ao consumo durante uma fiscalização em 12 supermercados, localizados na Zona Norte, Sul, Oeste, Centro da capital do Rio, além de municipios de Nova Iguaçu e Nilopolis. O economista e especialista em gestão de mercados, Leandro Rosadas, pontua que a gestão das datas de validade asseguram não somente a saúde dos clientes, mas também minimizam perdas e impactos financeiros.

”Para garantir a gestão da vigência dos alimentos e bebidas nos supermercados é preciso implementar uma série de estratégias que busquem vender os itens antes da expiração do prazo de validade. Por exemplo, criar um ponto com produtos que estão próximos ao vencimento com preços mais baixos que o habitual. É de extrema importância que nesse ponto tenha um cartaz informando que são produtos com preços reduzidos por estarem próximos da validade. Por isso o  consumo deve ser  imediato”, diz Leandro Rosadas.

O especialista explica que para favorecer o giro e evitar o vencimento das mercadorias enquanto ainda estão nas lojas é preciso manter o estoque atualizado, fazer rondas diárias, organizar as prateleiras com frequência e monitorar a movimentação em loja. Outra sugestão do economista é para quem vende produtos de fabricação própria. ”Se você tem farinha que está próxima ao vencimento, por que não usá-la na fabricação de seus bolos? Dessa forma, o mercado evita desperdício, prejuízo e ainda pode vender mais”, ressalta.

Saiba maisAcessórios e dicas indispensáveis para viajar com um bebê

Há outras opções para que esses alimentos não virem lixo. Leandro diz que há fornecedores que podem aproveitar os produtos para adubo, por exemplo. Alguns itens podem ser vendidos para empresas de reciclagem “O supermercadista vende o produto e ainda ajuda o meio ambiente. Inclusive, isso já é praticado em alguns mercados, já que lidam com embalagem diariamente”. Caso nenhum alterantiva seja factível, descarte o alimento de forma correta.

Sobre Leandro Rosadas (@leandrorosadas)

Leandro Rosadas é economista e especialista em gestão de supermercados, hortifrutis, atacarejos, padarias e açougues. Formado em economia pela UFRRJ, o carioca já atuou como professor universitário e consultor no mercado de varejo. Hoje, Rosadas é considerado uma das maiores referências entre os especialistas do seu segmento, sendo responsável pela formação em gestão de mais de 7 mil  proprietários de supermercados Brasil afora.

Saiba maisVestir paredes para traduzir sua personalidade