qua. nov 30th, 2022

São várias as vacinas para viajar, e após a pandemia da Covid-19, elas voltaram a estar no centro do assunto devido a possibilidade de transmissão de várias doenças.


Além disso, é importante considerar que há vacinas obrigatórias e procedimentos para que elas sejam validadas em outros países. Em relação à vacina contra a covid-19, também há diversos protocolos e aceitações, conforme o local de destino.

Para entender mais sobre estas medidas de segurança e a importância das vacinas para viajar, confira o artigo exclusivo que preparamos sobre o assunto. Após lê-lo, é só escolher o seu destino, separar seu cartão de vacinação, comprar seu seguro viagem e embarcar! Boa leitura!

Vacinas para viajar: principais exigências

Assim como há a obrigatoriedade de passagens, vistos e limites de bagagem conforme o destino, as vacinas para viajar são todas aquelas que precisam estar em dia. Ou seja, elas precisam constar no cartão de vacinação e terem sido tomadas em tempo hábil para efeito antes da viagem.

Viagens de avião, por exemplo, recomendam 6 a 8 semanas de antecedência da data de partida. Para casos em que a viagem contemplará zonas rurais ou florestais, a recomendação é ainda mais importante. 

Confira abaixo as vacinas mais comuns que precisam ser aplicadas nos turistas.

Vacina de febre amarela

Essencial em destinos nacionais ou internacionais, dentre as vacinas para viajar a de febre amarela é uma das principais. Isso porque existem vários países do mundo com altos índices de infecção pelo mosquito que a propaga. 

Por exemplo, África do Sul, Austrália, Egito, Indonésia e Tailândia. 

No site da Anvisa é possível encontrar os países que a exigem, mas mesmo para passeios dentro do Brasil, estar com esta vacina em dia é garantia de não contrair a doença.

A validade da vacina de febre amarela é de até 10 anos e ela não é recomendada para crianças com menos de 1 ano de idade.

Vacina de febre tifóide

A febre tifóide, ao contrário da febre amarela, não é transmitida pela picada de um inseto e sim pelo contato com a secreção de pessoas infectadas. 

Ou seja, suor, saliva e outros.

De modo geral, é uma das vacinas para viajar que está relacionada a condições ruins de saneamento básico e higiene e ocorre, na maioria das vezes, nos mesmo lugares onde ocorre a febre amarela.

Vacina para viajar: gripe

A epidemia da gripe é um caso global e vacinar contra o vírus é evitar contrair ou disseminar a doença. 

Por isso, ela é uma das vacinas para viajar que deve ser tomada por todos, principalmente grupos de risco como idosos, gestantes e portadores de doenças que prejudicam a imunidade.

Vacinas para hepatite A e B

Nesse caso, a recomendação é maior quando o destino da viagem é, especialmente, para o Norte ou Nordeste brasileiro. 

Contudo, o ideal é que todo brasileiro se imunize com ela ao longo da vida – e não apenas para viajar – principalmente porque elas são aplicadas em duas doses e com intervalo de 6 meses entre elas.

Ambas hepatites são doenças virais e podem levar a complicações sérias do fígado.

Vacinas para viajar dentro do Brasil: o que você precisa saber

Devido à extensão do Brasil, há fatores como clima, vegetação e hábitos de manuseio de alimentos que são diferentes de um lugar para outro. 

Por isso, todas as vacinas citadas acima se tornam importantes, principalmente em regiões do Norte, Nordeste e Sudeste.

Por sua vez, não deixe de considerar tomar antes de embarques nacionais também a tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) e a vacina contra a dengue.

Outras vacinas essenciais que precisam constar no cartão vacinal de todo brasileiro, de acordo com normas da Anvisa, são:

  • Antipneumocócicas, difteria, tétano e coqueluche
  • HPV
  • Meningite meningocócica e poliomielite
  • Raiva humana, tuberculose e varicela

 

Lembre-se que todas essas vacinas para viajar são fornecidas gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e podem ser aplicadas em qualquer posto próximo da sua residência.

Exigências internacionais para vacinas

As viagens ao exterior, normalmente, possuem exigências de algumas vacinas que mudam de país para país. 

O controle é realizado a fim de que novas doenças não se propaguem no local, e dessa forma, protejam tanto residentes quanto viajantes.

Por isso, se faz necessário ter em mãos o Certificado Internacional de Vacinação, que pode ser obtido através do site do Ministério da Saúde. Ele é emitido de forma gratuita e tem validade vitalícia, sem qualquer necessidade de renovação.

Em resumo, a única vacina para viajar obrigatória é contra a febre amarela, entretanto as variações sempre irão depender do destino. 

Por isso, estar vacinado com todas as possibilidades oferecidas pelo SUS é a melhor forma de não se preocupar com as exigências específicas de outros países.

Informações sobre vacinas para viajar: covid-19

Para viajar para outros países após ter tomado as duas doses ou a dose única contra a covid-19, é necessário ficar atento a alguns itens.

O primeiro deles é retirar o certificado de vacinação contra a covid no aplicativo Conecte Sus, que irá solicitar apenas login e senha do portal gov.br.

Verifique sobre a extração, uma vez que alguns países solicitam o certificado na língua nativa, ou seja, é possível retirar o comprovante em inglês ou espanhol.

Outro ponto a se considerar é que os critérios de entrada em diversos países são dinâmicos. 

Em outras palavras, há vacinas aplicadas no Brasil que ainda não estão aprovadas em determinados lugares, ou mesmo a exigência de vacinas de uma produção específica. 

Por exemplo, a França, que ainda não validou as vacinas Pfizer e Astrazeneca produzidas no Brasil (informação de 25/10/2021).

Por esse motivo, certifique-se antes de qualquer viagem internacional sobre a aceitação de turistas brasileiros, e quais os critérios. Dessa forma você não será surpreendido com a solicitação de algum documento que alternativo ou ainda proibido de entrar.