seg. nov 28th, 2022

É verdade que o brasileiro médio não é conhecido por ter uma boa educação financeira. Contudo, cresce o número de pessoas querendo aprender a investir do absoluto zero, até atingir um estágio mais seguro na vida.

De fato, pode haver vários fatores educacionais, culturais e até políticos ou ideológicos para o fato de que geralmente nós não sabemos como lidar com questões financeiras básicas, como a própria administração das contas de casa.

Tanto é assim que essa mudança nos últimos anos também se deve a vários fatores mais abrangentes, como a disseminação da internet e da esfera digital. 

Hoje há influencers digitais que dão dicas detalhadas sobre finanças e investimentos.

O que esse cenário todo mostra é que você não precisa ser dono de uma empresa paisagismo e jardinagem para ter uma renda que não venha do seu trabalho, ou seja, o mundo financeiro não se divide entre patrões e proletários, como pensam alguns.

É possível achar uma alternativa aí no meio, que consiste em viver de renda. Alguns fazem isso apenas para complementar as contas pessoais, outros podem ir além e tornar a coisa tão firme e sistemática que se “aposentam” mais cedo.

Ou seja, são as pessoas que colocam o dinheiro para trabalhar para elas. É precisamente isso o que o investimento permite fazer, de modo que ao colocar uma reserva nesse universo ela começa a crescer, enquanto você faz outras coisas.

É preciso tomar muito cuidado com promessas levianas, como aquelas que reforçam demais a ideia de que você vai ganhar dinheiro enquanto dorme. 

Contudo, se analisado friamente, o que o investimento permite é isso mesmo. Afinal, com ele você não precisa ficar de olho no seu dinheiro 24h por dia. 

Nem ocorre aquela regra básica do trabalho, no qual você costuma receber por hora trabalhada, ou por cumprimento de metas, o que também exige carga horário mínima.

Isso quer dizer que é inconcebível uma fábrica de caneta personalizada com nome gravado ganhar dinheiro enquanto todos os funcionários e o dono dormem. 

Não pode ser assim, pois a riqueza da empresa está no produto, que precisa ser fabricado.

Ao passo que no caso do investimento não é bem assim, pois ele tem outra natureza, além de contar com várias modalidades diferentes, tais como:

  • Ações na bolsa;
  • Fundos de investimento;
  • Tesouro direto público;
  • Títulos públicos;
  • Previdência privada.

Entre tantos outros, que só demonstram ainda mais claramente como investir é diferente de gerar riqueza com base em manufatura ou comercialização de algo. Por outro lado, também é preciso diferenciá-lo da aposta pura e simples.

Ainda hoje muitas pessoas têm receios e até preconceitos sobre o investimento, por acharem que no fundo ele se assemelha em algo com os jogos de azar, que vão desde cartas até as famosas máquinas caça-níqueis.

Entretanto, esse é um erro muito grave, pois existe uma gama considerável de investimentos seguros, que não guardam nenhuma semelhança com investir tudo o que você tem ou guardou na vida com um cassino.

Até porque, quando você estuda tudo sobre uma startup de sistema CFTV wifi, o que você faz é ficar a par das variáveis que determinam o futuro daquela empresa, bem como dos investimentos que consequentemente você fizer nela.

Outro fator que veremos abaixo é o de variar sua carteira de investimentos, em vez de ficar fixado em apenas uma oportunidade. 

Com isso, basicamente você segue a famosa regra de não colocar todos os ovos no mesmo cesto.

O que se torna cada vez mais fácil, já que cresce diariamente o número de marcas que têm feito IPO, sigla para Initial Public Offering, ou seja, Oferta Pública Inicial, que nada mais é do que a entrada da firma no pregão da Bolsa de Valores.

Sendo que essa prudência abre várias portas na vida. Afinal, a liberdade financeira é algo que realmente pode desencadear uma série de consequências positivas para quem a procura e a encontra de modo sério, sólido e sustentável.

Inclusive, a falta de segurança financeira pode ser motivo para diversos desajustes sociais, familiares e até mesmo psicológicos. 

Hoje já se fala até em dinheiro fobia, que é o quadro em que a pessoa sofre por não saber se vai conseguir pagar as contas do mês.

A segurança ou estabilidade é importante tanto para pessoas físicas, quanto para pessoas jurídicas como uma firma de carimbo redondo personalizado. Inclusive, um CNPJ também pode fazer seus investimentos do zero, como veremos.

Por isso, é que decidimos elaborar todo este conteúdo especial sobre um universo incrível, que tem crescido cada vez mais. Junto trazendo as 3 melhores dicas sobre como investir do absoluto zero de modo seguro e sustentável.

Para deixar tudo muito claro, trazemos também conceitos e características sem as quais seria difícil assimilar realmente o assunto e já começar a fazer seus próprios investimentos, por mais ousado ou distante que isso pareça.

Portanto, se você deseja mergulhar de cabeça em algo relativamente simples, que já vem mudando radicalmente a vida de muitas pessoas no Brasil e no mundo como um todo, basta seguir adiante na leitura deste artigo especial.

Características e benefícios

É muito comum ouvir a confusão existente entre o conceito de investimento e o de poupança. 

Porém, neste segundo caso a pessoa está fazendo algo eminentemente passivo, ao passo que o investimento é algo ativo.

Lembrando que no fim das contas a poupança também gera certo percentual de lucro ou vantagem para você. 

Porém, esse não é o foco dela, de modo que os percentuais são muito baixos e muitas vezes podem chegar a nem render nada, ficando empatado.

Deste modo, investir é colocar seu dinheiro em operações que rendam algum tipo de juros ou de correção monetária, gerando o que poderíamos chamar de “lucro”.

Colocamos a palavra entre aspas, pois lucro é aquilo que sobre depois que uma empresa de uniforme para administrativo desconta todos os gastos que teve para produzir esse produto, sendo que no investimento não há uma relação direta com nenhum produto.

Porém, em termos financeiros, o que o investimento traz é exatamente isso, ou seja, um valor líquido em relação a um montante que se movimenta por trás dele.

Por fim, também é importante frisar que, apesar de haver investimentos bem seguros, como referido acima (quando dissemos que investir não é arriscar ou fazer jogo de azar), uma pequena margem de risco sempre vai existir.

Além do fato de que o investimento pode demorar para render, de maneira que se você compra ações em um dia e vende logo na sequência, para atender qualquer emergência, você corre o risco de ter de vender por um preço inferior.

  1. Escolha a sua conta

Além das dicas que já demos indiretamente acima, é preciso detalhar a questão de que você precisa de uma conta de investidor para começar qualquer movimentação.

Originalmente a ideia da Bolsa de Valores é ser liberal, de modo que qualquer pessoa física pode, apenas com seu CPF (Cadastro de Pessoa Física), inscrever-se, criar sua própria conta de investimento, e começar a investir nas ações que bem entender.

Contudo, há outros modos de fazer isso. O primeiro é por meio de bancos financeiros comuns, conversando com o seu gerente de contas e negociando os percentuais.

Aí eles é que decidem em qual empresa investir, se vai ser na área de TI e de startups, ou do setor primário que lida com matéria-prima para persiana vertical para sala.

No entanto, a percentagem dos bancos tende a ser maior do que a de agências específicas, que são o terceiro tipo de conta que você pode utilizar.

Neste caso, você entra com o dinheiro e eles entram com um corretor, que também é quem vai investir seu dinheiro para você, sempre detalhando todo o processo.

No fundo, a escolha depende mesmo da sua realidade atual. Lembrando que você pode começar com a ajuda e, com o tempo, ganhar confiança para fazer sozinho.

  1. Saiba escolher o tipo

Outro passo fundamental, que você pode deixar aos cuidados do corretor no começo, mas já precisa ir estudando, são os tipos existentes de investimento.

Acima mencionamos o tesouro direto, os títulos públicos, a própria previdência privada e os fundos de investimento. 

Estes, por sua vez, também investem em empresas promissoras, como uma startup que traga inovações na área de impressão de livros.

Geralmente quando se ouve falar em pregão e bolsa de valores, as pessoas imaginam somente as ações de empresas. Mas, você pode investir também nesses fundos e títulos, que a princípio podem ser mais seguros.

  1. Diversidade e reserva

Por fim, se você pretende algo realmente seguro, você ainda por contar com uma carteira mais diversificada, além de reservas de emergência.

Por exemplo, ao optar por ações empresariais, você pode ir desde o setor de catering e food service, com uma empresa de kit lanche empresarial, até a área de TI ou de petróleo.

Já as reservas consistem em não gastar tudo que for sendo gerado como lucro ou valor líquido para você. Um investidor precavido diversifica e ainda guarda parte do que ganhou.

Considerações finais

Sendo assim, cada vez mais os brasileiros têm buscado alternativas para gerar renda e com isso conseguir uma vida financeira mais satisfatória.

Acima mostramos como atingir esse objetivo por meio do investimento, dando dicas para você começar do absoluto zero e fazer as melhores escolhas possíveis.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.