sex. abr 19th, 2024

Para indivíduos que consideram seu futuro financeiro, investir pode parecer uma meta inatingível. No entanto, existem inúmeras opções de investimento disponíveis, desde estratégias econômicas até estratégias avançadas e complexas.

Para quem almeja uma vida confortável para si e sua família, priorizar a seleção e a busca de objetivos pessoais é fundamental. Isso inclui obter uma compreensão completa do que você deseja, escolher seu caminho e dar os primeiros passos cruciais para alcançá-lo.

Para aqueles que se sentem inseguros em se aprofundar nas práticas de investimento, este guia fornece uma introdução clara e direta aos conceitos fundamentais do mercado financeiro. É um recurso simples para ajudá-lo a começar. Basta clicar e descobrir.

É possível investir com pouco dinheiro?

Vamos começar desmistificando alguns equívocos comuns frequentemente apresentados como princípios invioláveis. Existe uma crença generalizada de que investir é exclusivamente para os ricos e requer uma quantidade substancial de capital para começar.  No entanto, isso está longe de ser verdade.

Saiba mais4 fatos que estremeceram o sistema financeiro tradicional

Ao contrário da crença popular, acumular riqueza nem sempre requer um grande investimento inicial. Investimentos consistentes e graduais – independentemente do tamanho – podem gerar um crescimento significativo ao longo do tempo.

As opções de investimento estão disponíveis para atender a todos os orçamentos, níveis de especialização e compromissos de cronograma.

Para renda fixa, o Tesouro Direto oferece títulos públicos federais que podem ser acessados ​​por valores minúsculos. Mesmo um pequeno investimento de R$ 30 – o equivalente ao preço de uma pizza – é suficiente para começar a comprar no sistema.

Pessoas com alguma poupança podem fazer investimentos no setor bancário por meio da obtenção de CDBs.  São títulos bastante prevalentes que podem ser adquiridos por valores tão baixos quanto R$ 500.

Saiba maisComo cancelar o MEI: confira o passo a passo aqui

Apesar das dúvidas iniciais sobre começar com capital nominal, a resposta é afirmativa.  Um excelente exemplo seria investir em um distrito comercial central. Com os princípios de juros compostos, os retornos desse investimento aumentam o patrimônio do investidor ao longo do tempo e começam a acumular juros.

Quando alguém investe R$ 1.000 em CDB e recebe juros de 5%, ganhará R$ 1.050 ao final do primeiro ano. Porém, ao invés de aplicar a taxa de juros de 5% apenas sobre os R$ 1.000 iniciais, ela será aplicada sobre o valor acumulado. Isso resulta em ganhos exponenciais em vez de um aumento linear.

As oportunidades de investimento não se limitam a rendas fixas e podem atender até mesmo a pequenos valores. A renda variável também apresenta opções de investimento, sendo que alguns fundos exigem apenas um investimento inicial de R$ 500.

Investir em ações com valores baixos é possível para quem tem noções básicas de Bolsa de Valores. O mercado fracionário permite que as ações sejam vendidas individualmente em quantidades inferiores ao lote padrão, que normalmente consiste em 100 ações.

Saiba maisNão tenho como pagar o cartão de crédito: o que fazer?

A conclusão é óbvia – por que não começar a investir com uma quantia modesta em um produto que acomode essas contribuições, em vez de adiar até que você tenha uma quantia mais considerável? As vantagens de iniciar esses investimentos desde o início são múltiplas, pois os retornos se acumulam ao longo do tempo, levando a ganhos mais substanciais no futuro.

Um guia completo para iniciar investimentos, passo a passo.

Depois de despertar seu interesse em investir por meio do bate-papo, é importante observar que existem algumas etapas iniciais a serem realizadas antes de mergulhar. Aqui estão as cinco principais etapas recomendadas para começar:

Estabeleça seus objetivos

Qual é o seu motivo para economizar? Dependendo se você pretende comprar um carro novo, adquirir um imóvel ou garantir uma aposentadoria confortável, sua estratégia financeira pode variar. Cada objetivo tem seus requisitos de investimento exclusivos que podem ser benéficos ou prejudiciais.

Observe que as várias metas mencionadas têm prazos únicos para serem alcançadas. Correspondentemente, os investimentos necessários para cada um deles também variam.  As opções de investimento, normalmente, enquadram-se em três horizontes de tempo diferentes. Estes são:

Curto prazo

Os investimentos com duração de curto prazo, geralmente de até um ano, combinam melhor com aplicações com liquidez diária. Isso é particularmente crucial no caso de uma reserva de emergência, que é especificamente reservada para enfrentar situações inesperadas e urgentes. Esses recursos devem estar sempre imediatamente acessíveis.

Médio prazo

Os investidores que procuram risco moderado e alguma volatilidade podem considerar investimentos de médio prazo que duram entre um a cinco anos. Esses investimentos não exigem liquidez diária, sendo ideal reservar parte do investimento para esse fim. Como tal, esses investimentos permitem uma reserva que os investidores podem retirar ao longo do tempo.

Longo prazo

Os investimentos com prazo superior a cinco anos são conhecidos como investimentos de longo prazo. Nesses casos, os investidores podem optar por alocar recursos em ativos de prazo mais longo, com maior risco de mercado e, consequentemente, maior potencial de ganho. Isso também pode significar maior volatilidade no investimento.

Calcule o valor do investimento mensal e faça os ajustes necessários no orçamento

Talvez você tenha se deparado com o ditado que o aconselha a priorizar o pagamento a si mesmo. Isso vale especialmente para quem quer investir. Depois de definir um orçamento e determinar o que pode ser alocado para produtos financeiros, é crucial considerar essa quantia como uma despesa regular. Separe-o de sua renda após o recebimento e canalize-o imediatamente para seu investimento preferido.

Negligenciar a priorização do investimento e esperar até o final do mês para aplicar nos fundos restantes acarreta o risco de acabar sem nenhum investimento. Despesas imprevistas tendem a consumir os fundos disponíveis, prejudicando a tarefa vital de salvaguardar e aumentar o patrimônio. Por isso, é fundamental priorizar o investimento e se pagar primeiro.

Descubra o seu perfil de investidor

Imagine acordar com seu investimento perdendo uma parte de seu valor em questão de dias – uma perda de 5% ou 10%. Como alternativa, considere a necessidade de dinheiro imediato, mas enfrentando atrasos de processamento que duram várias semanas. O fluxo e refluxo dos mercados o manteria acordado à noite ou você seria capaz de navegar com calma por um obstáculo financeiro temporário?

Ao fazer essas perguntas introspectivas, os indivíduos podem determinar seu perfil de investidor, o que é essencial por vários motivos. Principalmente, ajuda na seleção dos produtos financeiros mais adequados. Por exemplo, uma pessoa avessa à volatilidade deve abordar os mercados de alto risco com cautela.

Além disso, antecipar o futuro pode evitar surpresas desagradáveis. Aqueles que podem antecipar sua própria resposta a circunstâncias desfavoráveis ​​de investimento são mais propensos a gerenciá-los de forma eficaz e evitar decisões impulsivas que muitas vezes levam a perdas financeiras.

As instituições financeiras são obrigadas a realizar uma avaliação criteriosa de idoneidade para garantir que os produtos ou serviços oferecidos estejam de acordo com o perfil do investidor. 

Isso significa que os investimentos só podem ser recomendados após uma avaliação criteriosa de seu alinhamento com os objetivos, capacidade financeira e nível de entendimento do cliente. Este procedimento garante que cada pessoa tenha uma opção de investimento adequada.

Normalmente, as instituições financeiras utilizam um questionário para analisar os objetivos de um cliente e tolerância ao risco. Com base nas respostas, os investidores são classificados em pelo menos três perfis de risco distintos.

Costuma-se classificar os investidores em três grupos: cautelosos, moderados e ousados.

Estude sobre investimentos e defina uma carteira baseada nos objetivos e perfil

Com uma compreensão clara da importância de estabelecer objetivos financeiros e identificar seu perfil de investidor, é crucial aplicar esses princípios ao seu planejamento financeiro

Com sua recém-descoberta autoconsciência, você pode determinar as opções de investimento mais adequadas para suas circunstâncias únicas. Considerando a vasta gama de produtos financeiros disponíveis, é essencial fazer uma escolha criteriosa, pois cada produto atende a necessidades financeiras específicas.

Para gerenciar os riscos de investimento, é prudente diversificar seu portfólio. Além disso, manter-se atualizado com as últimas tendências do mercado econômico e financeiro é crucial, pois isso pode impactar significativamente suas decisões de investimento. É recomendável revisar e reequilibrar seu portfólio pelo menos uma ou duas vezes por ano.

Obtenha mais informações sobre os ativos de mercado disponíveis consultando nosso guia de investimentos.

Estabeleça uma conta de corretagem

Abrir uma conta com um corretor da bolsa é o primeiro passo para iniciar um investimento.  Essas instituições financeiras autorizadas recebem pedidos de compra ou venda de ações de clientes e realizam operações em seu nome na B3. No entanto, as corretoras também apresentam alternativas de investimento além do mercado de ações.

As corretoras têm uma vantagem distinta sobre os bancos em termos da vasta gama de ofertas financeiras que oferecem. 

Uma vez que se concentram apenas em investimentos em vez de uma gama diversificada de serviços como O Seu Crédito, eles têm a capacidade de dominar o mercado e apresentar inúmeras opções aos seus clientes. Isso permite que os investidores escolham as opções mais adequadas que se alinham com seus perfis individuais.

A indústria de corretagem funcionando como uma espécie de “shopping” financeiro é cada vez mais comum. Ao contrário dos bancos que oferecem apenas produtos próprios, essas empresas oferecem produtos de outras instituições financeiras além dos seus, como a gestão de fundos de investimento. 

Considere as opções de investimento disponíveis em um banco versus uma corretora – enquanto os bancos normalmente oferecem apenas seus próprios produtos, as corretoras oferecem acesso a uma ampla gama de opções, incluindo Certificados de Depósito (CDBs) de vários bancos.

As corretoras têm uma vantagem distinta sobre os bancos em termos de custo.  Normalmente, os bancos cobram mais taxas relacionadas a investimentos do que as corretoras. 

Além disso, muitas corretoras de renome já renunciaram a taxas comuns, como a taxa de custódia. 

Além disso, as corretoras empregam profissionais bem treinados que podem fornecer bons conselhos sobre vários produtos financeiros. Por outro lado, os bancos podem nem sempre ter o mesmo nível de especialização quando se trata de consultoria de investimento.

Ao investir por meio de uma corretora, o primeiro passo é selecionar aquela que se alinha às suas necessidades. Análise fatores como taxas de corretagem, acessibilidade do sistema de negociação, disponibilidade de orientação de investimento e relatórios. Depois disso, você precisará iniciar um processo de abertura de conta.

Geralmente, basta apresentar alguns documentos de identificação pessoal e concluir alguns processos de registro. Uma vez criada a conta, pode-se iniciar um investimento fazendo uma transferência (usando TED ou DOC).