ter. nov 29th, 2022

O que antes era considerado um espaço secundário nos imóveis, hoje em dia vem ganhando protagonismo e se destacando cada vez mais nos projetos residenciais. Sim, o banheiro se tornou um ambiente de autocuidado e relaxamento, principalmente com a COVID-19 e a maior valorização da qualidade de vida. Inclusive, as pessoas realizaram diversos investimentos nesse espaço, como por exemplo a instalação de banheira de hidromassagem, permitindo maior bem-estar no dia a dia.

Sendo assim, outro item que merece muita atenção nesse local é o chuveiro. Afinal, um bom banho é capaz de promover benefícios incríveis em nossa rotina. Mas, da mesma forma que é importante realizar a manutenção de banheira de hidromassagem, também é importante saber escolher seu chuveiro. Então, pensando nisso, preparamos o post de hoje para te ajudar a escolher o seu.

  1. Analise seu conforto

Pelo fato de existirem infinitos tipos de chuveiro disponíveis no mercado, é comum ficar confuso com tantas opções. Sendo assim, nossa primeira dica é priorizar seu conforto acima de tudo, pois dessa forma você terá momentos extremamente relaxantes em seu dia a dia. Ainda que o preço seja importante, a qualidade e conforto promovidos são essenciais.

  1. Escolha o tipo de chuveiro

Atualmente, existem dois tipos principais de chuveiro: o elétrico e o a gás. O primeiro é mais econômico em relação à água, além de ser mais prático de instalar e possuir bom custo-benefício. Por outro lado, o chuveiro a gás oferece maior conforto, devido à pressão da água. Além disso, ainda existem os chuveiros solares, que são os mais sustentáveis, mas só podem ser utilizados em casas com esse tipo de sistema de aquecimento.

  1. Pressão da água

É importante ainda conferir a condição de pressão da água do imóvel, pois isso irá influenciar diretamente na escolha do seu chuveiro. A pressão de água de uma residência é totalmente diferente da de um edifício com apartamentos, pois quando maior for a construção, maior será a pressão de água. Sendo assim, para casos em que a pressão é fraca, o ideal é utilizar um chuveiro pressurizado ou ainda realizar a instalação de um pressurizador separado, que irá aumentar a pressão de todos os pontos de água da casa. Mas, caso a pressão seja adequada, não há necessidade do pressurizador.

  1. Teto ou parede?

Os chuveiros de parede são os mais comuns e indicados em lugares em que a tubulação está embutida na parede. É nessa categoria que estão os chuveiros com desviador e ducha manual que podem impedir a saída de água simultânea pelo chuveiro e desviar o curso da água somente para a ducha manual. Dessa forma, é possível direcionar o jato somente para as partes do corpo desejadas. Já os chuveiros de teto têm como principal vantagem poderem ser instalados onde quiser, como por exemplo, no centro do box e assim aproveitar melhor o espaço. Mas, devemos deixar claro que eles só podem ser utilizados em lugares onde a instalação hidráulica também esteja no teto.

  1. Vazão

A vazão do chuveiro nada mais é do que sua capacidade de fornecimento de água por minuto, que pode variar entre 6 a 60 litros/minuto dependendo do modelo e pressão da água. Para saber a vazão do modelo desejado, basta entrar em contato com o fabricante ou procurar essa informação na internet, visto que é disponibilizada. Mas, devemos lembrar que um chuveiro com grande vazão exige uma pressão adequada, visto que se ela for menor que o recomendado, o jato de água será fraco. Além disso, tenha em mente que quanto maior a vazão, maior será o consumo de água.

  1. Tamanho do espalhador

Como o nome sugere, o espalhador é a peça que abriga os orifícios por onde a água sai do chuveiro e existem diferentes tamanhos disponíveis no mercado. Ele está relacionado à pressão da água existente no local e ao conforto desejado. Ou seja, quanto maior ele for, maior será a área do corpo coberta por água. Contudo, existem aqueles que preferem jatos mais intensos e direcionados, sendo recomendado optar por um espalhador pequeno. Além disso, ele também é indicado em locais com pouca pressão de água justamente para intensificá-la.

  1. Tipos de jato

Por fim, existe uma grande variedade de tipos de jatos d’água no mercado, desde os mais concentrados até aqueles que simulam o efeito de nuvem de água. Além disso, você também vai encontrar jatos massageadores, jatos lineares, direcionáveis, efeito cascata, etc. Contudo, essa é uma escolha bastante particular e deve ser feita de acordo com o estilo de vida e preferências do usuário, juntamente com um profissional especializado.

Então, com essas dicas temos certeza que você irá conseguir escolher seu chuveiro de forma muito mais simples e sem dores de cabeça. Mas, tenha em mente que a instalação deve ser feita por pessoas especializadas e capacitadas no assunto para garantir a melhor experiência.