seg. abr 22nd, 2024

Além de jogadores, cantores e atrizes, mais de 2 milhões de brasileiros vivem na América do Norte

A quantidade de brasileiros vivendo nos Estados Unidos aumenta a cada ano e, de acordo com o último levantamento realizado pelo Ministério das Relações Exteriores, mais de 2 milhões já estão na Terra do Tio Sam, entre eles, celebridades como por exemplo Xanddy, Carla Perez e Nívea Stelmann, além de profissionais liberais, estudantes e aposentados. Desses, mais de 740 mil já conquistaram o Green Card para viver legalmente nos EUA, segundo o último levantamento Department of Homeland Security (DHS).

“O visto americano não é algo inalcançável, como muitos brasileiros acreditam, e pode ser muito mais viável do que se pensa. Centenas de brasileiros são totalmente elegíveis e nem sabem disso”, explica Pedro Botelho, CEO da Yellow Visa, start up formada por brasileiros e especializada em imigração para os EUA, com sede em Washington.

De acordo com Botelho, há muitos campos de atuação que também têm possibilidades de vistos. Nas categorias EB, por exemplo, dois vistos são ideais para os brasileiros que querem imigrar para os EUA, inclusive para quem já vive em terras americanas: o EB-1 e EB2INW. O visto EB-1 é destinado a brasileiros que tenham capacidade extraordinária em seu campo de atuação, seja nas artes, educação, negócios e esporte, e que a habilidade seja comprovada por premiação nacional ou internacional.

Saiba maisO que é uma incorporadora de imóveis

Já o EB2-NIW é um Green Card para pessoas qualificadas com capacidade excepcional e habilidades únicas em suas áreas de especialização. “Esse visto abrange diversas profissões que tenham bacharel e que possuam mais de 5 anos de experiência na área de atuação. O leque de profissionais que são elegíveis é vasto como: cientistas, médicos, dentistas, pesquisadores, artistas, empresários, educadores, atletas ou doutorados. Todos podem se candidatar nesta categoria”, explica Botelho.

Outro dado atraente é que algumas carreiras são de interesse nacional e a mão-de-obra estrangeira é bastante requisitada como médicos, fisioterapeutas, enfermeiros, dentistas, nutricionistas, engenheiros, aeronautas, profissionais de TI, arquitetos, profissionais de educação e de administração, além de empreendedores.

“Imigrar é uma tarefa que exige planejamento e acima de tudo especialistas capacitados e experientes para fazer o pleito imigratório. Por isso, o primeiro atendimento é feito mediante a análise curricular do candidato para identificar em qual visto ele se encaixa, EB1 ou EB2INW. Após análise, a nossa equipe orienta como iniciar o pleito imigratório eletronicamente, já que o processo é online e simples, com valores acessíveis, diferenciados e com condições especiais de pagamento, que pode ser feito em até 12 vezes, o que democratiza o acesso ao tão sonhado visto”, afirma o CEO da Yellow Visa.

É importante ressaltar que pessoas que já moram nos EUA e querem fazer o ajuste de status, ou seja, que possuem um visto vigente e gostariam de mudar para um visto de permanência como EB2, por exemplo, também podem solicitar o pleito imigratório de forma online pela plataforma, que é totalmente intuitiva, e assim conquistar o sonho de permanecer nos EUA de forma legal.

Saiba maisProcura online por consórcios imobiliários aumenta 100% em um ano, mostra pesquisa

Sobre A Yellow Visa:
A Yellow Visa é uma empresa formada por brasileiros e especializada em imigração para os EUA, com sede em Washington.
Uma startup composta por 90% de mulheres que tem como propósito ajudar pessoas a migrarem para os EUA de forma legal, digital, ágil e acessível.

Yellow Visa PLLC
Washington , USA
[email protected]
@Yellowvisa
Yellow Visa Facebook
Yellow Visa LinkedIn

By seo01TV