seg. nov 28th, 2022

Ao olharmos para o mundo globalizado em que vivemos, um dos fatos mais gritantes e importantes que vemos é o da importância crescente do inglês

De fato, essa língua ajuda tanto na vida pessoal quanto profissional, em vários sentidos diferentes.

Por exemplo, não se trata apenas de uma melhor colocação no mercado de trabalho ou de utilizá-lo para crescer por meio de cursos e plataformas que só estão disponíveis neste idioma, mas também de lazer, de viagens e afins.

Para muitas pessoas, conhecer um país diferente ou ir até um show ou espetáculo, pode ser uma experiência incrível que muda tudo. 

Além disso, basta considerar a quantidade de palavras em inglês com as quais cruzamos durante o dia.

Se você quer entender melhor um sistema de ar condicionado central, é bem provável que acabe precisando entrar no site da empresa, que por sua vez tem grandes chances de utilizar o inglês no seu manual do usuário e demais diretrizes.

Na verdade, mesmo os produtos que são fabricados em outros países e polos industriais, como China, Taiwan e outros, tendem a utilizar essa língua como modo de atingir mais gente e de conseguir uma exportação mais ampla.

Assim como a presença do inglês no próprio dia a dia das pessoas não é algo exclusivo do Brasil, mas sim da maioria dos países do mundo, já que produtos, serviços e até o entretenimento norte americano estão presentes na maioria das nações.

Esse é um dos maiores feitos da globalização, em um sentido muito interessante. Pois, ela tem raízes em fatores econômicos e de mercado, mas é indiscutível que acaba gerando também uma influência cultural, social, psicológica e até de costumes.

Há vários exemplos disso, mas as roupas que os jovens vestem talvez seja o mais claro, pois geralmente é influenciada pelo show business americano, seja com base nas músicas de celebridades daquele país ou do próprio cinema de Hollywood.

Outro exemplo são as palavras que podemos dizer que foram aportuguesadas, como quando uma empresa de bebedouro para escola diz que vai “startar” (de start) um novo contrato de prestação de serviço, querendo dizer que vai iniciar.

Ou mesmo palavras ainda mais comuns no dia a dia, como um simples “deletar”, que vem de delet, que também é um termo original do inglês. 

Alguns professores de português e críticos são contra esse tipo de influência, mas ela acontece.

Por isso, também é importante que estejamos em dia com essa língua, no sentido de que já não se trata mais de um diferencial, mas quase que de uma questão de sobrevivência em termos profissionais e culturais como um todo.

Lembrando que esse costume de haver uma língua universal não é de hoje, pois na Idade Média isso já acontecia. 

Só que era o latim, em grande parte por influência da igreja, até que as vulgatas foram se espalhando, e hoje são:

  • O português;
  • O espanhol;
  • O francês;
  • O italiano;
  • E o romeno.

Essas línguas também são conhecidas como línguas românicas. Mas, hoje a língua universal é o inglês, que se espalha muito mais do que o latim havia feito. Daí a importância de colocarmos essa questão tal como fazemos aqui.

Assim como alguns fazem curso para melhorar a comunicação, no sentido de desenvolver habilidades verbais escritas ou faladas, além de persuasão e retórica, também é preciso dominar outras línguas propriamente ditas.

Como o inglês se tornou global desde os fins da Segunda Guerra Mundial, quando os EUA assumiram a frente do crescimento do Ocidente, é para ele que devemos olhar e nos voltar em termos de prática e de conceituação.

Desta forma, além de detalhar abaixo as 4 dicas para você finalmente destravar o seu inglês, também trazemos as características principais dessa língua, no sentido de ajudar na hora de fazer uma assimilação realmente eficiente.

Dito isto, se o que você quer é mergulhar de cabeça em dicas e conselhos que realmente podem mudar sua relação com uma das línguas mais importantes do mundo, então basta continuar por aqui e ler até a última linha deste artigo.

Afinal, por que aprender?

Já falamos das vantagens profissionais e culturais, mas há ainda outras considerações a fazer. As quais podem estimular ainda mais na hora de decidir realmente destravar o inglês.

Por exemplo, o fato de que o aprendizado de uma nova língua acaba estimulando o cérebro, o que por sua vez impacta tanto no desenvolvimento de raciocínios mais desafiadores quanto no uso da memória.

Sendo assim, se você trabalha com design de interiores e persiana romana branca, pode não parecer, mas a aprendizagem da segunda língua vai torná-lo mais rápido no pensamento e até mais criativo, ajudando também.

É como se nosso cérebro saísse de uma espécie de sedentarismo, obtendo resultados que chegam a influenciar na organização, na dedicação e até no senso de compromisso.

Recentemente, já se sabe que essa atividade pode ajudar até mesmo contra o Alzheimer e outras doenças degenerativas. 

Ao mesmo tempo, podemos falar em benefícios típicos, como esse para idosos ou adultos.

Já para as crianças existe a vantagem do ensino bilingue, que abre muitas portas desde o início da formação, ampliando incrivelmente seus horizontes.

1. Ouça sempre o inglês

A primeira grande dica para aprender qualquer língua é ampliar ao máximo seu contato com ela, só que já não de modo automático ou desatencioso, mas com método.

O maior exemplo são as músicas e os filmes, que geralmente já estão mesmo em inglês, mas nós costumamos ignorar isso ou fazer pouco caso.

Em se tratando de músicas, por exemplo, o mais indicado é você ler a letra no original e a partir desse dia, começar a ouvir a música prestando atenção na fronteira entre as palavras. 

Sendo assim, percebendo cada uma, mesmo que sem saber o significado por enquanto.

Você também pode pegar sua agenda masculina personalizada e já começar a anotar algumas palavras que mais chamam sua atenção, para depois verificar no dicionário ou com seu futuro tutor de línguas, se for o caso.

Já os filmes, é preciso destravar a mente e se habituar a assistir legendado, com o áudio original em inglês. 

Pode até ser mais prazeroso fazer isso com a dublagem em português, mas para evoluir mesmo no inglês, é preciso esse convívio.

Tanto que fazer um intercâmbio é uma das dicas que podem ser dadas, e é também uma das mais valiosas. 

Embora muitas vezes ela só seja possível para alguns, já que pode se tratar de algo consideravelmente caro.

Mesmo assim, vale a mesma lógica e a psicologia é a mesma, pois o conselho aqui é exatamente fazer uma imersão naquela língua e até naquela cultura em que você quer mergulhar, sobretudo no caso do inglês, que já nos acostumamos um pouco.

2. Leia e traduza do inglês

O próximo passo é mergulhar um pouco mais e começar a sentir uma evolução muito mais madura na sua relação com a língua inglesa.

O melhor modo de fazer isso é lendo, escrevendo e traduzindo do inglês, lembrando que hoje há plataformas e dicionários online que ajudam consideravelmente.

De fato, se você está em qualquer projeto, como exportação ou importação de uniforme profissional feminino, e precisa traduzir algo, é possível fazer isso com poucos cliques.

Contudo, o foco aqui está em, novamente, fazer isso com método e prestando o máximo de atenção possível. 

No fundo, é esse esforço extra e essa atenção redobrada o que dará cada vez mais o domínio do que se chama índole da língua.

Trata-se de ampliar a intimidade com ela e ir pegando nuances cada vez maiores. Tanto que ao escrever uma palavra a fixação que fazemos dela é realmente bem maior.

Além disso, o esforço de traduzir já começa a nos inserir na prática efetivamente, de modo que assim já deixamos de ser passivos para começar a nos tornar ativos em relação ao inglês.

3. Treine fazer descrições

Mais do que observações e anotações em inglês, outro salto importante é o de começar a fazer verdadeiras descrições em inglês.

Isso tem várias vantagens, sendo uma delas a de que você desenvolve várias camadas da língua ao mesmo tempo. 

Ao descrever uma pessoa ou paisagem, é algo mais literário, ao falar de empresa cabeamento estruturado, algo mais técnico.

Também há usos jornalísticos e pessoais da linguagem, como manter um diário. Só não se esqueça de que aqui você já deve usar tanto a escrita quanto a fala, fazendo descrições pronunciadas também.

4. Disciplina e resiliência

Por fim, não é possível falar sobre aprender inglês sem que haja determinação pessoal, então é preciso pensar sempre na resiliência e na disciplina.

Se preciso, faça um adesivo decorativo personalizado lembrando do seu compromisso diário com a língua, nem que seja de 15 minutos.

O importante é ter um método claro e segui-lo à risca, se preciso repondo no dia seguinte algo que faltou no anterior, mas levando tudo muito a sério.

Considerações finais

Sendo assim, nos dias atuais praticamente já não é preciso explicar a importância do inglês, pois ele já se consagrou na vida profissional e cultural de muitas pessoas e países.

Acima detalhamos as 4 melhores dicas de como realmente destravar esse idioma tão necessário em nossas vidas, além dos benefícios que isso pode trazer.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.