seg. nov 28th, 2022

Se você é um artista, provavelmente já deve ter pensado em criar um portfólio, não é mesmo? Afinal de contas, é por meio dele que as pessoas e as empresas podem conhecer um pouco mais do nosso trabalho. Por isso, no seu dia a dia do mercado de trabalho, saber como elaborar um portfólio artístico é essencial!

Esse pequeno detalhe pode ser o diferencial entre você e um concorrente, garantindo ou não o seu próximo emprego ou, quem sabe, um futuro cliente. Por isso, todas as pessoas que trabalham com qualquer tipo de arte devem, sim, reunir os seus principais trabalhos em um portfólio. 

Entretanto, sabemos que criá-lo do zero pode não ser uma tarefa fácil. Então, resolvemos reunir as principais dicas de como elaborar um portfólio artístico neste texto. 

Ao longo deste artigo, você vai conferir XX passos para mostrar o melhor da sua arte para futuros clientes ou interessados. São eles:

  • entender qual tipo de portfólio você deve criar;
  • filtrar apenas os seus melhores trabalhos;
  • desenvolver os textos com expertise;
  • procurar referências de outros portfólios de artistas;
  • usar as redes sociais como atrativo para a sua página;
  • manter-se informado sobre as tendências do mundo da arte.

Achou os temas interessantes? Então, convidamos você a continuar este artigo e colocar a mão na massa para criar o melhor portfólio artístico da sua vida!

Como elaborar um portfólio artístico?

Você tem medo de criar o seu próprio portfólio? Pois, não fique! A seguir, sem mais delongas, você irá receber os seis passos principais para criar um lugar que reunirá os seus melhores trabalhos!

Se você tem mais amigos artistas, aproveite para compartilhar esse texto com eles! Toda ajuda nesta hora é bem-vinda. 

Entenda qual tipo de portfólio você deve criar

Qual tipo de artista você é? Você faz quadros, cria artes digitais, dança ou atua? Estamos perguntando isso porque o seu tipo de arte irá definir o Norte do seu portfólio. 

Afinal, como falamos anteriormente, o portfólio é uma amostra do seu trabalho. Então, precisamos de que ele exalte a beleza, precisão e perfeição do que fazemos. Ou seja, não é apenas preciso saber como “vender o peixe”, e sim como organizá-los e torná-los mais atrativos para os seus futuros clientes. 

Vamos exemplificar: para um bailarino, é muito interessante disponibilizar vídeos em alta resolução dos seus espetáculos! Além disso, você pode colocar algumas fotos que exaltem a complexidade dos seus movimentos. 

Para um pintor, por sua vez, pode ser mais interessante utilizar mais fotos para o portfólio. Para cada obra, você pode escolher imagens que mostram os detalhes da peça, aumentando o interesse do cliente. 

Filtre os seus trabalhos

O portfólio, em primeiro lugar, deve ser um ambiente no qual as pessoas irão conhecer o seu trabalho. Por isso, logicamente, devemos apresentar apenas os nossos melhores projetos. 

Sabemos que, na hora de montar o portfólio, nós podemos ficar um pouco ansiosos e com vontade de mostrar serviço. Isso resulta em um conteúdo extenso e cansativo de se olhar. 

Por isso, um dos primeiros passos é filtrar os seus trabalhos e fazer uma seleção das suas melhores obras. Lembre-se: vale muito mais 15 trabalhos perfeitos do que 30 “meia boca”.

Capriche no texto

Só imagens não são suficientes para construir um bom portfólio. Você precisa saber se comunicar com a pessoa que está vendo o seu trabalho! Por isso, é interessante debater um pouco sobre o que o visitante do seu portal está vendo. 

Vamos lá: você pode colocar o nome da obra, como ela foi feita, quais objetos foram usados em seu preparo, quais foram as suas inspirações e o que ela representa para você. 

Os recursos visuais serão os responsáveis por atrair o olhar do seu visitante, mas é o texto o lugar no qual a pessoa irá tirar o complemento do que ela viu anteriormente. 

Procure referências na área

Se você teve a ideia de criar um portfólio neste momento, você já deve ter visto, provavelmente, o material de outros artistas expostos na internet, certo? Então, recomendamos que você analise com atenção cada um deles e observe os pontos que mais atraiu a sua atenção. 

Este “estudo de campo” vai ser ótimo para você pegar referências. Assim, você poderá incrementar o seu próprio portfólio com novas ideias, deixando-o cada vez mais receptivo para o seu público. 

Use as redes sociais a seu favor

Você sabe que a maioria dos usuários da internet estão presentes nas redes sociais, não é mesmo? Seja em plataformas mais voltadas para o lazer, como o Facebook e o Instagram, ou para conquistas profissionais, como o LinkedIn, as redes sociais podem ser de grande ajuda na hora de preparar e impulsionar o seu portfólio. 

Você pode utilizar as suas redes sociais pessoais para impulsionar o seu trabalho e, no futuro, usar as próprias plataformas como um portfólio. A opção “Rells” do Instagram, por exemplo, pode ser um ótimo lugar para você colocar o seu vídeo dançando em um espetáculo. 

Mas, atenção: é bom distanciar o perfil profissional do pessoal. Você pode usar o seu perfil do dia a dia para levar mais seguidores para o seu portfólio, mas, mesmo na internet, é bom manter o trabalho em um lugar “neutro”. 

Mantenha-se sempre informado sobre o mundo da arte

Lembra que falamos sobre a importância de buscar referências em outros portfólios? Então, não esqueça de que também é necessário se manter atualizado sobre as tendências do mundo da arte. 

Por isso, recomendamos fortemente que você busque blogs e sites que falam sobre cultura e sobre arte. Um exemplo é o Artcetera

Com conteúdos que falam desde filmes até os mais diferentes gêneros musicais, o Artcetera é um site que produz textos para os amantes da arte. Se você deseja saber o que é tendência no âmbito cultural, esse é um portal perfeito para você!

O que você achou?

Chegamos ao final das nossas dicas. Acima, você conferiu seis passos para criar um portfólio do zero. O que você achou? Conte para a gente!

Não se esqueça: o principal passo para criar um portfólio artístico é “começar”. Não tenha medo e deixe a sua veia artística correr solta!