seg. nov 28th, 2022

Qualquer tipo de negócio que parta da expectativa de um empreendedor, tende a crescer com o tempo, conforme o planejamento. Para que isso ocorra, é necessário passar por etapas distintas, como profissionalizar uma empresa e contratar mão de obra especializada. 

Apesar de ser fundamental para aplicar tecnologias, processos e melhorar o negócio, a profissionalização ainda pode ter um significado diferente para muitos empreendedores.

Isso porque pode até ser mal interpretado por algumas empresas, como as familiares, que tem receios sobre o controle da empresa e podem ter uma resposta emocional, como uma crítica à gestão familiar. 

Contudo, pelo contrário, a profissionalização da gestão empresarial é o método de garantir que os valores fundamentais sejam incutidos na missão, na visão e nos valores da organização.

Uma gestão eficaz em vigor, quando as necessidades do negócio vão além da capacidade dos membros ativos da família, é necessário implementar processos e melhorias, tornando tudo mais profissional e com potencial de desenvolvimento.

Quando as empresas familiares buscam profissionalização estratégica na gestão empresarial, seja com o apoio de profissionais do setor, consultorias ou tecnologias, o foco é tornar os negócios mais competitivos, lucrativos e sustentáveis. 

Algumas das maiores, mais bem-sucedidas e inovadoras empresas do mundo são fundadas por famílias, como instituições de ensino de cursos profissionalizantes e faculdades espalhadas por todo o país.

Ao longo da história, à medida que essas empresas se expandiram e evoluíram, elas se concentraram em estabelecer sistemas que garantiram que o negócio estivesse preparado para os desafios que viriam.

Ao mesmo tempo, o pensamento em como profissionalizar uma empresa, e toda a gestão organizacional, permite que ações efetivas sejam incorporadas às necessidades e valores da família em toda a governança, formalizando a missão.

Em qualquer empresa privada, os modelos de profissionalização estão na interseção das necessidades dos empreendedores e das necessidades do negócio, aliando esses aspectos para promover fluxos mais claros e efetivos para o objetivo comum.

Esses modelos enfatizam o desempenho, a responsabilidade e o planejamento, ao mesmo tempo em que abraçam a história, os valores e a identidade da organização.

Profissionalizar uma empresa otimiza o desenvolvimento

A profissionalização da gestão empresarial é o processo de estabelecimento de sistemas e controles que garantem os mais altos níveis de integridade e competência. 

Ela oferece o mais alto nível de controle e acompanhamento das atividades, possibilitando que uma empresa possa lidar com o inesperado e prosperar com continuidade, se modernizando com cabeamento estruturado e contratando mão de obra técnica e competente.

Profissionalizar a gestão empresarial também é uma estratégia para otimizar o acompanhamento dos fluxos e promover o crescimento da marca. Como a ação será implementada vai depender do proprietário da empresa. 

A implementação de uma gestão profissional pode ocorrer em diferentes cenários, como:

  • Dimensionamento no setor;
  • Plano de sucessão;
  • Reestruturação empresarial.
  • Revisão de processos estruturais.

Como profissionalizar uma empresa trata de gestão, como um todo, o planejamento oferece mais clareza sobre os processos necessários e um objetivo específico que pode ser acompanhado para continuidade da liderança e estratégia de mudança.

Isso permite uma melhor visão da empresa no mercado e quais melhorias devem ser realizadas para atingir o objetivo traçado, visualizando as tendências e como elas podem ser aproveitadas.

Outro fator que deve ser levado em consideração é que a profissionalização é transitória.

É o processo de identificar competências, áreas de melhoria e, em seguida, identificar as melhores pessoas para preencher as lacunas e realizar os planos de ação necessários. 

Para uma família que sempre esteve à frente dos negócios, isso pode significar reconhecer e aceitar que a pessoa mais qualificada para a função não está entre os familiares. 

No foco central, a preocupação que muitas empresas familiares enfrentam é a visão de que a contratação de um profissional externo para frentes de gestão ameaça o controle dos negócios da família.

Embora haja circunstâncias em que isso possa ocorrer, em certos graus, isso não é motivo para evitar o foco na integridade e na competência que podem ser propiciados pela profissionalização. 

Em vez disso, as empresas familiares bem-sucedidas usam a profissionalização para estabelecer um padrão de processos e cargos para os membros da família, e até mesmo um novo posicionamento no mercado e a forma como se encara a concorrência.

Na verdade, essa é uma oportunidade para criar protocolos claros e desenvolver os próprios membros da comissão, visto que os gestores podem passar por consultorias. 

Afinal, não apenas a contratação para cargos efetivos pode ser feita na profissionalização, como também processos de mentoria e desenvolvimento dos profissionais já responsáveis pela gestão. 

Contudo, um cenário bastante promissor é essa integração entre os profissionais já presentes com novos executivos, que trarão expertises obtidas no mercado para otimizar o negócio.

Há um elemento adicional de medo ligado à profissionalização: fundadores e proprietários de famílias sucessivas têm o “DNA codificado no cerne da empresa”.

Com esse pensamento em mente, parece que as estruturas oferecidas pelo fluxo de trabalho ou cultura profissionalizante podem parecer uma influência que dilui o valor e a identidade da família. 

No entanto, isso também pode ser adequado, visto que, na verdade, há um reforço das raízes de forma estruturada, aproveitando-se desses aspectos para aculturar e realinhar a produção e atividades.

Necessidade de profissionalização da gestão 

Toda empresa, em algum momento oportuno, passará por períodos de transição em relação à liderança, seja no planejamento sucessório, na introdução de um conselho de administração ou na saída do negócio. 

A profissionalização, como mostrado anteriormente, é parte elementar desse processo e com resultados de mais longo prazo em toda a aplicação, sendo crucial para o pleno desenvolvimento contínuo. 

Por isso, deve ser encarado como uma forma mais objetiva e orientada de evolução da empresa.

Por vezes, a profissionalização de determinados setores de uma empresa pode resultar na cessão do poder executivo a profissionais diversos, inclusive membros não familiares.

Esta é a base da mudança: como uma empresa de divisória banheiro cresce e se expande depende das pessoas que são atraídas para a empresa e do talento que se faz mais necessário.

A liderança familiar ainda pode fornecer um propósito, valores e cultura comuns, mas profissionalizar a equipe é um elemento crucial de valor agregado para garantir a continuidade no mercado em que atua. 

Quando uma empresa deve se profissionalizar?

Profissionalismo não significa remover a influência ou orientação da equipe responsável ou do gestor atual (seja uma empresa familiar ou não). 

Na verdade, trata de reformatar a liderança e a cultura organizacional para enfrentar novos desafios e fortalecer a capacidade de competir no curto e longo prazo, podendo se dar pelo aperfeiçoamento dos profissionais ou alteração das equipes.

A profissionalização da gestão empresarial é, normalmente, considerada depois que uma empresa foi estabelecida por vários anos e está procurando escalar.

As estruturas de gestão familiar, por exemplo, assumem uma quantidade incrível de propriedade e responsabilidade pelo próprio nome e marca.

Contudo, à medida que as equipes se expandem e os negócios crescem, um empreendedor não pode estar em todos os lugares de uma vez só, precisando de novos gestores que possam contribuir com o crescimento e reestruturação da marca.

Ou seja, a evolução gera complexidade e a liderança passa a exigir a cessão do controle a outros líderes e gerentes. 

O gerenciamento de uma empresa de assistência técnica informática com característica própria familiar pode não ser a maneira mais eficaz de administrar, à medida que ela evolui. 

Assim, incluir líderes externos e influência promove uma mudança em direção à padronização. 

A ação também promove uma atmosfera que examina os papéis e responsabilidades da liderança, determinando se as pessoas certas ocupam os cargos mais adequados.

Outros aspectos comuns na profissionalização da gestão empresarial estão relacionados à aposentadoria e ao planejamento sucessório.

Quando um fundador ou líder está querendo se afastar da liderança do dia a dia, empresas precisam construir uma estratégia de saída que considere a profissionalização e pessoas que possam se responsabilizar com qualidade pelas atividades, mas que também entenda e reforce os aspectos culturais da empresa, seus valores e história.

Os principais passos para uma gestão profissional

Há uma enorme escola de pensamento sobre o que significa uma boa profissionalização, mas, em essência, aqui estão 3 componentes.

Família  

Nesse primeiro ponto, é preciso compreender o equilíbrio dos valores centrais de um fundador e toda uma família e o papel da gestão profissional no novo ecossistema da empresa.

O planejamento sucessório e a mudança de gestão de uma uma fábrica de piso de concreto polido, por exemplo, são, muitas vezes, impulsionadores da rotatividade no local de trabalho. 

À medida que as empresas se profissionalizam, a forma como a família continua a exercer influência e impulsionar a empresa se torna parte importante, mas integrada aos objetivos da marca em um contexto geral.

Os membros da família geralmente definem a identidade da empresa. 

A profissionalização nunca deve procurar reduzir ou contornar a contribuição da família, mas sim avaliar e entender onde a contribuição, a liderança e a influência familiar podem estar para beneficiar o todo.

Governança 

O segundo ponto trata em estabelecer um sistema apropriado de governança, para que se possa incluir membros executivos e não familiares em cargos estratégicos de gestão.

Para continuar administrando uma empresa de locação de impressoras em expansão, ou para garantir a continuidade suave da liderança em um escritório contábil, entender a composição completa da governança melhora o alinhamento.

Assim, é preciso identificar como o conselho se alinha com o poder executivo e como o centro corporativo e os membros não familiares tomam decisões. 

Isso significa que uma pluralidade de vozes pode ser ouvida e os desafios enfrentados em equipe.

Cultura de valor 

O último ponto está em restabelecer a proposta de valor e cultura do local de trabalho.

Ou seja, trata-se de garantir que a gestão profissional não complique ou burocratize demais as mudanças de um hospital veterinário 24 horas, absorvendo a essência e a identidade dos fundadores para reforçar as razões da empresa e o porquê ela precisa avançar.

Profissionalismo significa membros familiares e não familiares construindo sistemas de controle entendidos e em sintonia, mesmo que protegendo a voz única da empresa e a presença no mercado. 

Trata-se de valorizar a cultura organizacional e a cultura do valor empresarial.

Conclusão

A profissionalização da gestão de uma empresa, principalmente quando ela reúne componentes de uma família, muitas vezes tira as pessoas da própria zona de conforto, especialmente quando significa integrar um executivo que não faz parte do seio familiar. 

No entanto, assim que o trabalho estiver concluído, seja uma empresa de gestão condominial ou uma clínica estética, a equipe proposta será a necessária para um planejamento de prosperidade.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.