sáb. jan 28th, 2023

O médico vascular Dr. Gustavo Marcatto listou algumas dicas importantes para prevenir os problemas vasculares em longos trajetos de carro, ônibus ou avião 

Verão e, finalmente, as tão aguardadas férias! depois de um longo período de muito trabalho e com a pandemia da Covid-19 já mais controlada após quase 3 anos graças às vacinas, a vida retoma seu curso e tudo o que muita gente quer agora é descansar e curtir alguns dias de merecido descanso, matar a saudade de familiares que moram mais distantes e viajar um pouco para sair da rotina, não é?

Mas também é importante estar sempre ligado na saúde, para que o passeio aconteça sem problemas e seja só diversão e descanso. E de carro, ônibus, ou avião, um problema muito comum em viagens com mais de duas horas é aquele desconforto, principalmente nas pernas, que tendem a ficar inchadas e com uma sensação de peso.

Isso acontece, justamente, por passar muito tempo sentado, sem fazer movimentos. “Permanecer muito tempo numa mesma posição, ou um longo período sentado, como nos casos das viagens longas, prejudica o retorno do sangue dos membros inferiores ao coração. O resultado é uma circulação mais lenta e, consequentemente, o acúmulo de sangue nas pernas, provocando inchaço e sensação de peso e desconforto nos membros inferiores”, explica o médico vascular, Dr. Gustavo Marcatto, de São José do Rio Preto, no interior de SP.

Engana-se quem pensa que esse desconforto se limita, apenas, aos membros inferiores. Mãos e braços também podem apresentar problemas de circulação durante as viagens, devido à imobilidade. O recomendado, nesses casos, de acordo com o especialista é realizar alongamentos, mesmo sentado na poltrona do ônibus ou avião (ou banco do carro), elevar os braços e abrir e fechar as mãos algumas vezes.

Dicas de cuidados básicos e importantes

Segundo o Dr. Gustavo, é necessário que o passageiro levante, pelo menos a cada duas horas, e circule pelo corredor do ônibus ou do avião por no mínimo 5 minutos. No caso de automóveis, o ideal é que o motorista faça paradas também a cada duas horas, para que tanto ele, quanto outras pessoas que estiverem no veículo, possam movimentar as pernas, ajudando assim na melhora da circulação sanguínea. “É preciso fazer alongamentos e movimentar-se. Mover os tornozelos em círculo e para cima e para baixo, ativando, assim, os músculos das panturrilhas e auxiliando no bombeamento do sangue”, indica Gustavo.

E estando com a criançada no carro, esse método também pode ser aplicado a eles, e tudo vira uma grande brincadeira para deixar a viagem ainda mais divertida e conter, assim, a ansiedade dos pequenos para a chegada ao destino.

Outro ponto importante abordado pelo especialista é manter uma boa hidratação durante todo o trajeto, já que a ingestão de água, em qualquer ocasião, ajuda a deixar o sangue mais fluido, facilitando muito a circulação.

E atenção! Nada de saltos, sapatos ou roupas apertadas, hein! O ideal em deslocamentos com mais de duas horas é, mesmo, o conforto. Com peças de roupas mais soltas e sapatos confortáveis, principalmente tênis.

Muita atenção para os casos mais específicos

Para algumas pessoas é recomendado, ainda, durante as viagens o uso de meias elásticas de compressão para evitar o inchaço das pernas e pés. “As meias são muito importantes, principalmente para pessoas com maior predisposição à trombose como: quadros de varizes, com idade avançada, obesos, quem tem antecedentes de trombose, portadores de distúrbio de coagulação genético (a trombofilia); tabagistas, quem faz tratamentos hormonais ou aqueles que estão em tratamentos de tumores malignos”, alerta o médico.

O Dr. Gustavo pontua também sobre o uso de medicação específica. “Em alguns casos, o médico vascular pode indicar o uso de anticoagulantes para a prevenção da trombose, em pacientes que vão viajar longas distâncias. Por isso é essencial consultar um especialista, que indicará qual o melhor procedimento para cada pessoa”.

O especialista vascular faz ainda um alerta! Viagens longas de avião, tem um agravante a mais na questão da circulação sanguínea de desconforto nas pernas e pés. “A pressurização das cabines causa uma perda imperceptível, mas bem significativa, de água do nosso corpo por evaporação. Isso aumenta a viscosidade do sangue (que fica mais grosso), o que pode favorecer a trombose. Portanto, mais uma vez, a hidratação é bastante importante sempre”, explica o médico.

E depois de tomar todos esses cuidados e, finalmente, chegar ao destino, o ideal é deitar e levantar as pernas por alguns minutos. Com isso a sensação de peso e inchaço deve passar rapidamente. Aí, é só curtir cada minuto das férias com muito movimento, brincadeiras e descontração! Ah, e no trajeto de volta, não se esqueça de seguir os mesmos cuidados e conselhos do Dr. Gustavo, hein!

(Dr. Gustavo Marcatto)