qui. dez 1st, 2022

Engenheiro da Lorenzetti esclarece dúvidas recorrentes que muitas pessoas apresentam antes de comprar o produto

Sinônimos de eficiência, na última década, os aquecedores de água a gás ganharam protagonismo na composição de grande parte dos novos projetos residenciais. Porém, por ser um produto com muitas especiações técnicas e que demanda de auxílio profissional para a instalação e manutenção, muitas pessoas têm dúvidas recorrentes sobre o funcionamento do produto. Pensando nisso, Edson Suguino, engenheiro da Lorenzett, líder na categoria no país, esclarece algumas das principais questões envolvendo os aquecedores.

Pontos simultâneos, é possível?

Uma das grandes vantagens de contar com um aquecedor de água a gás é a de que o produto atente a alguns pontos de maneira simultânea, dependendo da capacidade do aquecedor a gás. No mercado, é possível encontrar modelos de 7 a 45 litros por minuto. É necessário considerar que as duchas fornecem cerca de 8 litros por minuto e um misturador para lavatório ou cozinha em torno de 4 litros por minuto.

“Uma dica simples é verificar quantos banheiros irão receber água quente e se a cozinha também irá. Mesmo que os banheiros tenham uma ducha e um misturador, geralmente utiliza-se o banheiro individualmente, ou seja, um ponto por vez”, indica Suguino.

Chuveiro Elétrico + Aquecedor, pode?

Há alguns anos, já é possível encontrar os chuveiros elétricos flex. Estes modelos possuem um sensor eletrônico de temperatura na entrada de água que regula automaticamente o seu funcionamento. Enquanto a água estiver fria, o chuveiro aciona a resistência e quando chegar a água quente ele desliga a parte elétrica, permitindo reduzir o desperdício hídrico no começo do banho.

Posso converter?

No mercado há duas opções de aquecedores, com gás natural (GN) e gás liquefeito de petróleo (GLP). Uma dúvida frequente é se seria possível fazer a conversão entre os gases. A resposta é sim, desde que seja alterado o sistema de funcionamento a gás. A conversão deve ser realizada por um técnico habilitado para a execução, que fará as modificações no aparelho. É importante esclarecer que um aparelho que atende GN não pode ser instalado para receber GLP e vice-versa. “As principais diferenças entre os dois gases é que o GLP apresenta maior poder calorifico e é mais pesado que o ar. O GN, por sua vez, tem um poder calorifico menor e é mais leve que o ar”, acrescenta o engenheiro.

Ajuda na economia de energia?

Atualmente, existem muitos aquecedores de água a gás que possuem dispositivos que ajudam na economia de energia. Os modelos mecânicos possuem uma chave inverno/verão que favorece a economia, uma vez que, em dias mais quentes, o consumo de gás pode ser diminuído manualmente, similar ao controle de um fogão. Já os modelos eletrônicos dispõem da modulação automática da chama, com sensores que monitoram o consumo de gás de acordo com o fluxo de água e temperatura selecionada, proporcionando mais conforto e economia durante o banho.