qua. nov 30th, 2022

O processo de troca do dente de leite pelo permanente é uma ação muito importante durante a infância. Sendo assim, as “janelinhas” causadas pela perda das primeiras dentições se tornam um evento marcante para muitas crianças e suas famílias.

Porém, o que fazer quando o dente permanente começa a nascer antes mesmo da queda do dente de leite? 

Para sanar dúvidas sobre esse assunto, criamos um conteúdo especial, explicando as causas do problema, seus principais impactos e quando devemos procurar um dentista para resolver a higienização.

Antes mesmo de iniciarmos, vale ressaltar que a higienização das dentições deve feita em consultório, assim como extração do dente “encavalado” ou tratamentos periodontais, como a lente de contato dental, por exemplo. Continue conosco e saiba mais!

Principais complicações quando o dente de leite não cai

Normalmente, os primeiros dentinhos decíduos surgem no primeiro ano de vida do bebê. 

Estima-se então que, em torno dos 3 anos de idade, a dentição da criança deverá estar completa. Já por volta dos 6 anos se inicia a queda dos dentes de leite, processo que poderá durar até a adolescência do jovem, em torno dos 13 anos de idade.

Entretanto, podem ocorrer algumas complicações durante esse processo.

Sendo assim, a permanência dos dentes de leite após o período usual ocorre por conta da maior absorção de suas raízes. Esse problema é conhecido como “retenção prolongada”, e pode causar grandes impactos na saúde bucal, como veremos a seguir.

  1. Inflamação na gengiva

Quando a queda do dente de leite não ocorre, é possível que o dente permanente cresça de forma inadequada, o que pode gerar diversos problemas.

Um deles é o encavalamento da dentição, que torna possível um maior acúmulo de resíduos de alimentos, causando problemas como a inflamação da gengiva no tecido de sustentação dos dentes.

Tais problemas podem causar impactos gravíssimos na saúde bucal da criança. Um deles é o sangramento da gengiva, o que pode facilitar o amarelamento dos dentes e causar dores na região.

Já a inflamação no tecido de sustentação dos dentes poderá resultar na perda da dentição permanente e de leite.

  1. Cáries

Como apontamos no tópico anterior, a disfunção ortodôntica causada pelo crescimento do dente permanente antes da queda do dente de leite pode facilitar o acúmulo de resíduos entre os dentes.

Com isso, a escovação e o uso do fio dental podem ser insuficientes para garantir a total higiene dos dentes, principalmente em casos de uso de um aparelho dental invisível ou tradicional.

A partir da permanência dos resíduos entre os dentes de leite e permanente, a placa bacteriana e o tártaro começam a se proliferar, criando a situação perfeita para o surgimento das cáries.

Quando não tratadas de maneira correta, elas podem vir necessitar não só da obturação, mas também do tratamento de canal.

  1. Incômodo para se alimentar

É normal que a criança sinta um grande desconforto ao se alimentar quando seu dente de leite ainda não caiu, enquanto sua dentição permanente está crescendo.

Isso ocorre devido a disfunção ortodôntica causada pela presente do dente “a mais”, dificultando a mastigação correta.

Ressaltando que os dentes permanentes possuem esse nome justamente por sua condição de “permanência”. Logo, se após a queda dos dentes de leite e surgimento das dentições novas acontecer algum trauma será necessário procedimentos como lente de dente.

Tratamento para a retenção prolongada

A presença do dente decíduo enquanto os dentes permanentes crescem na boca da criança impede que a nova dentição ocupe o espaço correto, gerando diversos problemas ortodônticos.

Para corrigir esse problema, é fundamental que leve a criança para seu dentista de confiança. Assim, ele poderá indicar qual o melhor tratamento para o caso dele, após alguns exames, como a aplicação de tipos de clareamento dental, por exemplo.

Além disso, o profissional poderá realizar a extração do dente de leite de maneira correta, além de tratar possíveis cáries e inflamações.

Com isso, o bem estar da criança e a beleza de sua dentição estarão garantidos ao seguir o tratamento indicado pelo especialista..

Portanto, assim que notar o crescimento do dente permanente antes da perda da dentição decídua, procure por tratamento o mais cedo possível. Assim, os impactos causados pela retenção prolongada podem ser prevenidos ou diminuídos.

Sendo assim, não deixe de contar com seu dentista de confiança! Procure levar a criança para consultas periódicas com o especialista, evitando o problema ou solucionando-o com um tratamento eficaz, como o uso de prótese dentaria.

Conteúdo desenvolvido pela equipe do Conviva Melhor, blog criado com o intuito de melhorar a saúde e o bem-estar por meio de conteúdos que reforçam a importância dos cuidados regulares.