qui. dez 1st, 2022

O ser humano é incrivelmente complexo, a tal ponto que em nós existe a dimensão da saúde mental, e não apenas a perspectiva da saúde do corpo. Também por isso, podemos tratar sobre psicoterapia, que é o que trata das patologias da psique.

Ao falar em patologias, não podemos deixar de mencionar o fato de que, modernamente, muitas vezes o homem tem verificado cenários de aumentos consideráveis de doenças da psique, como vemos na bibliografia especializada.

Um exemplo clássico é o do famoso livro “A Personalidade Neurótica do Nosso Tempo”, da autora e psicanalista Karen Horney, uma alemã que seguiu a escola de Freud, mas atuou diretamente nos Estados Unidos, especialmente no pós-guerra.

A própria explosão demográfica que tivemos no último século e o avanço da revolução industrial criaram um ambiente assim. Se hoje as empresas fazem até coffee break executivo, no começo dos anos 1990 a exploração do trabalhador era generalizada.

Essa rotina contemporânea e típica das grandes metrópoles era o começo de problemas que ainda hoje enfrentamos, que é o do crescimento da quantidade de casos de depressão, ansiedade, neuroses e síndromes, como a famosa Síndrome de Burnout.

No caso, ela acomete justamente trabalhadores que se submetem a regimes excessivos de trabalho. Até o ponto da exaustão e do momento em que a cabeça da pessoa como que pede um descanso, dando sinais de esgotamento físico e mental.

Também não está totalmente fora do radar desses problemas o suicídio, que podem decorrer dos casos mais extremos de transtornos mentais. Segundo alerta da própria OMS (Organização Mundial de Saúde), entre jovens esse caso é alarmante.

Isso porque no mundo todo o suicídio chegar a ser a terceira maior causa de morte entre jovens, sendo que em mais de 90% dos casos havia quadros de patologia psicológica envolvida, desde inclinações neuróticas familiares até a própria depressão.

Mas também há razões mais amenas com as quais a psicoterapia se preocupa, como as dificuldades de relacionamento pessoal ou profissional. O setor de RH de uma empresa de instalação de ar condicionado, por exemplo, entra nessa segunda categoria.

Também há corporações e instituições que dependem seriamente desse suporte, como a polícia e o corpo de bombeiros, cujos profissionais fazem acompanhamento profissional constante por prevenção, mesmo que não haja nenhuma patologia no radar.

Tudo isso aponta, de modo muito claro, para o fato de como a psicoterapia é extremamente importante para os dias atuais. De fato, poucas técnicas ou práticas podem fazer bem tanto no campo pessoal quanto no profissional.

Claro que meditação, ioga, pilates e outros esforços podem ajudar alguém que esteja querendo espairecer um pouco, desestressando da correria. Contudo, em alguns casos, somente um profissional da mente pode trazer benefícios reais.

Por isso é que decidimos escrever este artigo especial sobre o tema, aprofundando detalhadamente a importância de fazer psicoterapia, explicando não apenas para que ela serve, mas também seus conceitos e características fundamentais.

Além de citar os tipos principais de psicoterapia existentes, o que pode passar por questões mais técnicas, com o papel de um consultório psicologia e psicopedagogia, até definições acadêmicas de escolas psicológicas clássicas.

Por fim, também é fundamental tratar das vantagens e benefícios que a psicoterapia pode trazer no curto, médio e longo prazo, falando de modo realista. Afinal, isso pode ajudar quem ainda está em dúvida sobre recorrer ou não a essa medida.

É preciso lembrar que no Brasil e em outros países de terceiro mundo, que são pouco instruídos em sentido cultural e acadêmico, ainda existe muito preconceito, no sentido de dizer que a terapia é coisa para “pessoas doidas”.

O que só demonstra um evidente preconceito e falta de instrução sobre o assunto. Na verdade, a psicoterapia é uma das maiores conquistas que a história da saúde mental já viu, graças a nomes de peso como Freud, Jung, Adler, Viktor Frankl e outros.

Lembrando também da importância fundamental de sempre consultar um psicólogo, independentemente do que você ouça de alguém ou leia na internet. Só o acompanhamento individualizado pode trazer diagnósticos precisos.

Às vezes esse profissional pode ser encontrado em uma clínica particular, em clínica médica integrada ou mesmo em repartições públicas, como alguns postos de saúde. Do mesmo modo existe o suporte digital, operado totalmente online.

Diante de todas essas ponderações, se o seu interesse agora é realmente entrar a fundo nesse universo incrível que é o da psicoterapia, entendendo tudo o que você sempre teve dúvida sobre o assunto, então é só seguir até o fim da página.

O que é psicoterapia?

O termo psykhé significa “mente” e o termo therapeia significa “cura” ou “reestabelecimento” de algo. Ambos derivam do grego e já deixam muito claro do que se trata essa técnica.

O grande foco aqui é tratar as doenças, neuroses e transtornos da mente humana, de modo a recuperar ou estabelecer uma normalidade em termos de bem-estar e autoconfiança.

Claro que há uma subjetividade grande quanto ao significado desses quadros positivos. O que é bom para um pode não ser nem sequer satisfatório para outro, mas a verdade é que há um meio-termo consensual que permite aplicações objetivas.

Ou seja, mesmo que a definição de bem-estar não seja a mesma para todos, a verdade é que todos podem ter seu próprio bem-estar, mesmo que dentro de termos peculiares.

O mesmo vale para alguns tratamentos, como o uso de floral quântico para ansiedade, que pode ser mais indicado para uns casos do que para outros.

No fundo, um dos elementos principais da psicoterapia é justamente essa personalização que é necessária e até mesmo indispensável. Outro modo de compreendê-la bem é comparando com áreas próximas, como a da psiquiatria.

A grande diferença é que neste caso o doutor pode receitar remédios para o paciente, em vez de ficar preso apenas à conversação, como no caso do psicoterapeuta ou, dito de modo genérico, como no caso do psicólogo.

Na prática, a psicoterapia pode trazer várias vantagens e benefícios, tais como:

  • Cura de traumas;
  • Superação das limitações;
  • Relacionamentos interpessoais;
  • Autoconhecimento;
  • Vantagens como profissional;
  • Identificação dos pontos frágeis;
  • Questão do sentido da vida.

Ou seja, a psicoterapia nada mais é do que aplicação dos fundamentos da Psicologia, indo além dessa disciplina acadêmica e investigativa, ao mesmo tempo ficando aquém da psiquiatria, que dá um passo a mais e trabalha medicamentos e afins.

Lembrando que entre os vários métodos e tipos diferentes, há também as modalidades práticas. A aplicação profissional é uma delas, mas também a de casais, de família e de grupos de interesse que possam precisar.

Por dentro dos tipos

Hoje há dezenas de tipos de psicoterapia, mas podemos nos concentrar aqui nas três principais, que surgiram ainda antes da segunda metade do século XX, todas elas antes do fim da Segunda Guerra Mundial.

Elas estão intimamente ligadas à origem ou desenvolvimento da Psicologia moderna, e são conhecidas como escolas vienenses. 

A primeira delas é a do próprio Sigmund Freud, cuja síntese afirma que o sofrimento humano decorre do recalque de certos impulsos sexuais mal resolvidos. A segunda é de Alfred Adler, que dirá que ele vem da busca frustrada por poder.

Ambos produziram muito em termos de publicação e escrita, sendo que uma pasta L personalizada poderia não ser o suficiente para conter a bibliografia toda.

A terceira escola vienense, por fim, é a de Viktor Frankl, fundador da Logoterapia, que diz que o sofrimento humano se origina na falta de sentido para a vida.

As curas pessoais

Não é possível falar sobre a importância de fazer psicoterapia, bem como sobre suas vantagens e benefícios típicos, sem mencionar mais detidamente as curas pessoais que isso pode trazer.

A própria questão do sentido da vida já representa um verdadeiro renascimento, por meio do qual cada ação e cada esforço de uma biografia podem ser ressignificados.

Em torno dele, a pessoa vai erguendo as outras curas e vantagens, mais ou menos como um painel luminoso personalizado em volta do qual você vai instalando outros itens e enfeites que vão enriquecer ainda mais o local.

A cura de traumas do passado, a superação de limites pessoais, a identificação clara e sincera de pontos fortes e fracos na personalidade, tudo isso é consequência do ponto central.

Questões interpessoais

Por fim, outro grande motivo pelo qual é importante fazer psicoterapia é devido às vantagens como profissional e nas relações pessoais, como as de cunho amoroso.

Ou seja, acima vimos os benefícios intrapessoais, e aqui os interpessoais, que são externos a nós. Mais ou menos como quando uma funcionária faz um workshop para mulheres, agregando muito valor ao seu currículo e sua carreira.

Esses relacionamentos são tão importantes que podem fazer não apenas um colaborador melhor, mas também mudar um namoro ou até um casamento. Além de outras funções sociais e familiares, como paternidade, maternidades e afins.

Considerações finais

A psicoterapia e a Psicologia em geral constituem um dos saberes mais fundamentais da sociedade, por poderem trazer benefícios pessoais, profissionais e interpessoais.

Acima detalhamos qual a importância de fazer terapia, além dos tipos e escolas existentes nessa área, bem como os conceitos indispensáveis à área.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.