sáb. jan 28th, 2023

Se você já tem um negócio de varejo, com certeza a sua intenção é que ele mantenha a sua relevância, certo?

Em vista disso, é importante ficar atento a respeito das tendências do varejo para 2023. É sobre isso que iremos falar no decorrer deste artigo.

Quais são as tendências do varejo para 2023?

A cada ano que passa, há algumas tendências que surgem no mercado, onde os empreendedores precisam ficar bem atentos.

Mesmo porque, para manter o negócio relevante, deve-se prezar pela boa experiência dos consumidores. Então, dentre as principais tendências do varejo para 2023, citamos os seguintes:

1. Digitalização do varejo

Segundo os dados da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), feita pelo IBGE, o número de vendas do comércio varejista, no Brasil, fechou com uma alta de 1,2% em 2020, e crescimento de 6% na receita nominal.

Uma grande parte desse crescimento ocorreu porque, entre abril e setembro de 2020, mais de 11 milhões de pessoas fizeram sua primeira compra online.

Além disso, nesse mesmo período, surgiram mais de 150 mil novas lojas virtuais, dos mais diversos nichos, como os brechós online.

Durante a pandemia, com uma alta busca por bolsa Louis Vuitton original e demais grifes, esse mercado acabou crescendo bastante.

No entanto, a transformação digital saiu mesmo da teoria, já que foi possível acompanhar o crescimento de vários segmentos do varejo.

2. Pix no varejo

O sistema de pagamento instantâneo também vem se tornando uma grande tendência no mercado de varejo.

Afinal de contas, como há isenção de taxas, muitas empresas começaram a oferecer condições especiais para os pagamentos feitos por pix.

Fora tudo isso, não há como negar a extensa facilidade que esse sistema de pagamentos é capaz de proporcionar.

No caso do varejo eletrônico, uma das grandes vantagens do pix é a respeito da otimização dos processos de pagamento.

3. Dados: análise, gestão e personalização

Outro grande diferencial é a respeito do armazenamento, análise e gestão mais organizada de dados.

Mesmo porque, a partir do momento que se é possível aprofundar a respeito do perfil de clientes, torna-se possível também personalizar a experiência do consumidor.

Vamos supor que um cliente realizou a compra de jogos de taças de cristal em seu site, por exemplo. Nesse caso, sabendo dos seus gostos, é possível ser mais assertivo nas próximas vezes que ele acessar a sua loja.

Segundo um estudo feito pela Applause, 91% dos consumidores se tornam mais propensos a comprar de empresas que lembram deles e que oferecem ofertas relevantes.

Outro estudo feito pelo Google mostrou que uma em cada três pessoas espera a recomendação de produtos personalizados, segundo o seu perfil de compra.

4. Varejo frictionless

Está cada vez mais óbvio que o cliente está em busca de agilidade, conveniência, segurança, personalização, e facilidade em todas as suas experiências de compra.

Porém, isso se estende durante a escolha dos produtos e até no momento do checkout, em ambientes tanto físicos quanto virtuais.

Em vista disso, as novas plataformas devem ser capazes de identificar o consumidor em ambiente virtual e físico.

Assim, deve-se analisar o histórico de compras, preferências e hábitos, reduzindo o máximo possível o atrito e minimizar a ruptura de venda.

Isso quer dizer que cabe ao varejista enxergar na tecnologia uma grande oportunidade e aliada em todos os processos.

A partir disso, é possível criar soluções livres de atrito, como pagamento por aproximação, solução de autoatendimento, link de pagamento etc.

5. Novos meios de pagamento

Para garantir a inclusão financeira, oferecer novas formas de pagamento também tem se mostrado uma grande tendência.

Inclusive, de acordo com um estudo feito pela Americas Market Intelligence, em parceria com a Mastercard, no começo da pandemia, a quantidade de desbancarizados no Brasil caiu 73%.

Devido ao aumento da demanda em usar serviços online e o consequente aquecimento do mercado, os setores financeiro e varejista ganharam uma janela de oportunidade.

A necessidade de aumentar as formas de pagamento tem sido uma grande tendência no varejo devido ao fato de permitir uma aproximação ainda maior entre loja e cliente.

6. Cliente no centro e aumento da competitividade

Não há como negar que tem sido possível notar uma intensificação da concorrência, sendo que todas elas caminham na direção do cliente. Ou seja, repensando toda a experiência, em prol das necessidades e desejos dos clientes,

Mas, ao mesmo tempo em que geram novos diferenciais de mercado, também há o potencial de fomentar cada vez mais a competição no setor.