sáb. nov 26th, 2022

O número de ciclistas nas cidades brasileiras aumentou. E, com isso, também, a preocupação em relação a roubos e furtos. No estado de São Paulo, por exemplo, 1 bike é roubada por hora. Para se proteger, nada melhor do que contar com um seguro para bicicleta.

Porém, conforme essas apólices se tornam mais procuradas, aumentam, também, as ofertas. E, entre tantas opções, nem sempre é fácil encontrar a ideal – que ofereça a proteção que você precisa, pelo custo que pode pagar. Para lhe ajudar, separamos dicas e informações essenciais. Confira!

Quanto custa um seguro para bicicleta?

Os valores são muito variáveis, dependendo da empresa e das coberturas. De modo geral, os mais baratos cobram em torno de 10% do valor da magrela.

Existem, ainda, seguros que cobram planos anuais – com mensalidades todos os meses. Como o valor é diluído em um tempo maior, as mensalidades costumam ser mais acessíveis. Outros, por outro lado, fazem parcelamentos em poucas vezes (entre 4 a 5), o que faz com que o valor mensal fique mais alto.

De forma geral, contudo, na hora de comparar as diferentes opções não pense apenas no valor final, mas sim no custo-benefício. Isso porque, em alguns casos, pode ser mais vantajoso pagar uma quantia a mais a cada mês, porém ter acesso a coberturas e benefícios extras – que realmente são interessantes para sua rotina ou seu perfil de ciclista.

Seguro para bicicleta: principais dicas para escolher o ideal

Como vimos, pensar apenas no custo não é a melhor forma de escolher o seu seguro para bicicleta. Veja alguns pontos que você precisa analisar antes de fazer sua opção.

Coberturas

É fundamental analisar o que o seguro cobre (ou não), comparando as melhores opções. Existem algumas coberturas que são básicas – e presentes na maioria dos seguros, como:

  • roubo e furto qualificado, tanto durante o pedal, como no transporte ou dentro da sua residência, estacionamento ou outros locais de guarda da magrela;
  • acidente ou quebra, cobrindo em relação aos gastos com conserto ou substituição de peças em caso de acidentes durante o passeio ou o transporte da bicicleta;
  • responsabilidade civil, cobrindo danos causados a terceiros, por exemplo em casos de atropelamentos.

Alguns seguros, contudo, são mais completos – e, além das coberturas básicas, oferecem assistências adicionais (que podem ser bem interessantes dependendo do seu perfil de ciclista), como:

  • assistência 24 horas para situações corriqueiras como pneu furado, acidente pessoal, entre outros;
  • reboque ou transporte adequado para até 40 km do local do evento;
  • transporte para o ciclista e a bike em caso de mal súbito;
  • personal fitness, com orientação profissional sobre as melhores rotinas de treino para seu biótipo e objetivos;
  • assistência nutricional, com recomendações de um profissional da nutrição, de acordo com o seu perfil, sobre alimentação saudável, perda de peso e ganho de massa muscular.

Planos

Existem seguradoras que oferecem determinados planos, com as coberturas mais comuns e interessantes para alguns perfis de ciclistas.

Por exemplo, quem pedala apenas na cidade, pode buscar por um plano no estilo bike urbano, com cobertura contra roubo e furto qualificado, assistência 24 horas, transporte e reboque, além de extras que podem ser interessantes como assistência nutricional ou personal fitness.

Já se você participa de competições ou está pensando em fazer uma cicloviagem, pode optar por planos mais robustos com coberturas contra roubo e furto qualificado, acidente ou quebra, responsabilidade civil, assistência 24 horas, transporte e reboque, extensão para transporte internacional e assistência nutricional e fitness.

De qualquer forma, avalie os planos disponíveis e converse com a empresa sobre a possibilidade de um plano personalizado – caso você acredite que suas necessidades não são contempladas por nenhuma das opções.

Empresa

Sempre avalie a empresa por trás do seguro para bicicleta. Analise há quanto tempo ela está no mercado, se possui familiaridade com a área do ciclismo e confira a reputação com outros ciclistas, conferindo em sites como Reclame Aqui e também em fóruns, redes sociais e outros espaços.

Se for possível, dê preferência a uma empresa focada apenas no seguro de bike ou com experiência na área do ciclismo. Afinal, esse é um setor diferenciado e uma expertise de ciclistas fará toda a diferença no serviço prestado e também na definição de planos e coberturas.

Burocracia

Seguros podem ser, no geral, muito burocráticos. Algumas empresas podem exigir vários documentos e até uma vistoria presencial da sua magrela. Já outras podem ter uma burocracia menor, com vistoria virtual e exigência de poucos documentos (muitas vezes apenas a nota fiscal da bicicleta e em outros casos, nem isso).

Análise, ainda, depois de quanto tempo de envio da documentação, você já estará com seu bem segurado.

Franquia e outras taxas

Todos os seguros para bicicleta cobram franquia. O valor, contudo, varia de empresa para empresa. E este valor é importante, porque está relacionado ao quanto você receberá de indenização. A maioria dos seguros pagam indenizações entre 90 a 80% do valor total segurado da sua bicicleta.

O restante envolve a franquia e a Participação Obrigatória do Segurado (POS) que incide sobre o valor total do prejuízo.

Vamos supor que você tenha uma magrela segurada no valor de R$ 10 mil, com uma POS de 10%. Assim, a indenização máxima que você receberá será de R$ 9 mil.

A franquia também abate da sua indenização, mas ela é o valor mínimo incidente. Caso você tenha uma bike de R$ 3 mil segurada e ela seja roubada, e o seu seguro tenha uma franquia de R$ 500, então você receberá R$2,5 mil de indenização.

Exigências do seguro

Quando estiver pesquisando e comparando os diferentes seguros, você notará que alguns possuem exigências em relação à bike, como valor mínimo e máximo, idade e documentos (a nota fiscal é a mais comum).

Então, é importante encontrar um seguro para bicicleta que esteja de acordo com as características da sua magrela.

Acessórios

Nem todos os seguros cobrem os acessórios – a maioria exige que seja feita uma apólice a parte ou o pagamento adicional. Se você montou sua bicicleta ou transformou um modelo de entrada em um melhor, por exemplo, vale a pena incluir também os acessórios no seu seguro. Assim, se alguém roubar algumas parte da sua magrela, por exemplo, você não terá que ficar no prejuízo.

Sinistros e demais procedimentos

Se a sua magrela for roubada, como você deve agir? Quais os canais para acionar o seguro? Dentro de quantos dias você receberá a indenização? O que precisará enviar para a seguradora? Saber como são os processos é muito importante, avaliando a agilidade e a facilidade de comunicação com a seguradora.

Colocando todas essas dicas em prática, certamente você será capaz de escolher o melhor seguro para bicicleta de acordo com seu perfil de ciclista e suas necessidades. Ainda tem alguma dúvida ou deseja contribuir com dicas adicionais? É só deixar um comentário pra gente!